quinta-feira, 22 de junho de 2017

O Farmacêutico De Sonho #3

#3 AQUI.

HE'S BACK!!!

Pensavam vocês, almas cheias de saúde, que em todos estes meses eu nunca mais meti os pés numa farmácia? Só não meti naquela, por razões que a própria razão desconhece. Mas hoje, a procura de um cortador de comprimidos (isto de saber fazer garganta funda mas ter uma garganta estreita para engolir comprimidos ainda me atormenta) levou-me inevitavelmente à farmácia onde tudo isto começou.

À semelhança de todas as outras vezes, eu via a quantidade de pessoas que estavam no atendimento e vi-o logo, na última banquinha, a atender um senhor de idade, enquanto os colegas atendiam duas, três pessoas. Se as fadinhas Nazarenas não falharam à Floribella, também não me falharam a mim. 
Após confirmar que o meu número coincidia com a banca dele, acho que fiz um percurso mais aceitável do que o da Jennifer Lawrence para receber o Óscar.


Ele continua bom todos os dias. Afinal não se chama Luís mas sim Miguel. Confunde uma pessoa.
Como aquele anel que ele tem no dedo. Esse anel também confunde uma pessoa Miguel, é de casamento, compromisso ou para fazer feitio? O povo quer saber!!!!



Ao apresentar-lhe o Sauda (cartão das farmácias, um homem doente como eu precisa de se precaver!) diz-me ele, todo sentido:

" - Desculpe mas aqui não aderimos a esse cartão."

Estás desculpado Miguel. E se fosse assim, um café, aderias ou não?
Podes levar a bata branca. Eu não me importo.

Quando A Estagiária Denuncia O Teu Jogo De Engate

Trabalhar com alguns estagiários é por demasiado engraçado. Por exemplo a M, do alto dos seus 18 anos, é boa todos os dias e uma pessoa passa a vida a rir-se.
À tarde, aparecem dois Canadianos, um sem graça nenhuma e outro com a graça toda. Falando com os dois, mando o real olhar à moça, a ver se ela percebia o jogo que corria ali. E ela não percebeu. Desmanchou-se a rir. E, quando digo "desmanchar", é mesmo, não aguentar o riso.

O caso atingiu proporções demasiado trágico-cómicas quando um deles, já um tanto ou quanto incomodado pergunta, mas com um sorriso no rosto:

" - Why is she laughing? Is it because of our accent?"

E eu, dividido entre partir-me a rir com ela ou enfiar-me num buraco recém cavado por mim noutro sítio qualquer, lá lhe digo:

" - It´s not that, we have Canadian tourists everyday, it´s just her, she´s crazy... "

Querendo dar uma de "macho dominante" viro-me para ela, já a pedir a Deus para não começar, também eu, a rir-me:

" - Stay there and don't you dare laughing again!!!!!"

Foi só o tempo de os despachar aos dois para lhe perguntar:

" - Não percebeste a jogada?"

" - Percebi, mas quando olhei para ti parti-me a rir..."


Não obstante, poucas horas depois, depois de perceber o meu jogo de babanço por outro cliente, desta feita um Português, pergunta ela, depois de ele e os amigos se terem ido embora, mais alto do que devia:

" - Por qual deles era?"

E eu, mais alto ainda:

" - Eu juro que te mato!!!!"


Maravilha das maravilhas, a mulher que estava com eles dá grande volta para trás e assusta-se com o meu berro... E eu,a ver que não iria embora sem receber uma queixa por assédio, digo à M:

" - Eu vou ligar para o escritório e perguntar se já houve algum estagiário que tivesse sido assassinado aqui. Por que se não houve, tu arriscaste a ser a primeira..."

Comprimidos Para o Stress

Ao comentar com a Senhora minha mãe que andava, mais uma vez, a dormir mal, diz-me ela:

" - Acho que te fazia bem voltar a tomar o Valstress, dormias melhor e não cria habituação..."

E eu, que já estou por tudo, após declinar a sugestão, remato:

" - Da maneira que isto anda, preciso é do Pilostress..."


Rita Ora - Your Song [Video]

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Shit Tourists Say #1

Embora trabalhar com público de todo o mundo proporcione situações inesperadas todos os dias, há também aquelas que todos os dias se repetem, não importa a proveniência de quem fala. Os exemplos  desta rúbrica estarão em Português mas acreditem,ouço-os em Castelhano, Inglês, Francês, Italiano e Brasileiro (sim, por que Brasileiro, para os Brasileiros, é uma língua).

Shit Tourists Say #1

Valor do cruzeiro explicitado no cartaz: 15€
Pergunta: - " - Este preço, é por pessoa?"


Não, este preço é para duas pessoas. Se por acaso algum de vós decidir vir sozinho fazer um cruzeiro tem de esperar na fila à espera que apareça mais alguém para irem os dois juntos. Conhecem algum sítio que só venda produtos a duas pessoas de cada vez?

Tatuagem #4

#3 AQUI.

Quase meio ano depois e vendo-me (quase) todos os dias, hoje de manhã, vira-se a minha patroa, a olhar para o meu braço:



" - O que é isso? Estiveste preso?"


Pensei que a mulher estivesse a meter-se comigo, mas não. Dentro daquele escritório, a alma que me paga o ordenado era a única que não tinha visto isto. Se ela me voltar a perguntar qual foi o motivo da reclusão, eu direi que foi por ser feio. Ela irá perceber.

Ellie Goulding - Something In The Way You Move [Video]



terça-feira, 20 de junho de 2017

Gorjas

Hoje dois casais Franceses deram-me uma gorja de 3€ após lhes ter facilitado a vida relativamente a um voucher. É a coisa boa de se ser pobre. Uma pessoa contenta-se com estas coisas.


Trabalhos Da Universidade Ou Obras Demoníacas


Embora já tenha terminado a minha licenciatura há uns anos, hoje vi esta imagem pelo Facebook e não acabei o meu almoço sem a mostrar a toda a gente que estava na sala, era demasiado "reliable" para que a deixasse passar em branco.

Vindo de um curso ligado, maioritariamente, a literatura, tinha disciplinas de abstracção quase pura, e outras, em que, pão era pão e queijo era queijo.

 Lembro-me de um trabalho de História da Língua em que tive de reler um trecho de Galego-Português vezes e vezes sem conta à procura de ocorrências da dita língua. Vomitei, literalmente.

Lembro-me de me ter aventurado a fazer um trabalho sobre "as influências da música medieval na música dos dias de hoje" para Literatura Portuguesa Medieval, em que, após a recepção de uns artigos da docente acabei por mudar, pura e simplesmente, o meu trabalho todo.

Depois, tenho as lembranças de trabalhos que me fizeram rir.

Fazer uma análise de poemas de João Cabral de Melo Neto para Literatura Brasileira e escolher três poemas sobre cemitérios.

Primeiro ano da docente a leccionar História do Teatro Português. Para o trabalho de final de semestre, tínhamos de fazer o relatório de uma peça de teatro à nossa escolha. Envia-nos um plano de execução para o qual ninguém olhou até à altura de se fazer o relatório. Tinha mais de trinta páginas. Eu e a M, a chorar em conjunto no antigo Messenger enquanto fazíamos aquele trabalho do demónio e dizíamos mal das nossas vidas.  Tirei 18.

Lembro-me de ter entregue o meu trabalho de Ficção Medieval sobre, "A profecia no reinado do Rei Artur"  (vocês não iriam encontrar pessoa com ideias mais bizarras do que eu no que toca a trabalhos) no início do exame. Ao sair da sala, pergunta-me a docente (a mesma de Literatura Portuguesa Medieval):

" - Não quer fazer uns melhoramentos no seu trabalho?"

Vindo dela, acreditava que esses melhoramentos fariam a diferença entre tirar positiva ou negativa no dito trabalho. Isto era numa Sexta, no fim de semana tinha o relatório de História do Teatro para fazer, ou seja, estava com a corda ao pescoço. Mas não lhe disse "não" . Tirei 16 valores e meia dúzia de pessoas perguntou-me como é que ela me tinha dado uma nota acima de 15.

Mas para mim acabar um trabalho era como parir um filho, uma vez cá fora não o queria voltar a meter dentro da cabeça. E tive de o fazer algumas vezes, com muita pena minha.
Mas às vezes sinto saudades.

domingo, 18 de junho de 2017

Jax Jones - Instruction [Audio]


"Some say I'm bossy 'cause I am the boss
Buy anything, I don't care what it cost
Stacked like casino, Armani, Moschino
If you're The Supreme then I'm Diana Ross"


Não estou a lidar com esta música....