sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Sobre A Música E A Educação



Imagens como esta deixam-me doente. Para vocês o que é a educação? É somente aquilo que os vossos professores vos ensinam? 
Os meus pais desde sempre me deram educação em casa, educação essa que foi aprimorada na escola com os meus professores, mas a EDUCAÇÃO de cada um muitas das vezes depende maioritariamente dos próprios sujeitos. 
Gosto musical influenciar educação de cada pessoa? Ridículo. Durante vários anos fui grande fã de Britney Spears e tirava quatros e cincos [numa escala de 0 a 5] e quando comecei a ouvir metal tirava quinzes e dezasseis numa escala de 0 a 20. 
Quando vejo este tipo de comparações temo pela sanidade mental da raça humana. Já conheci metaleiros que tiravam más notas e pessoas que ouviam música que eu pessoalmente acho abomináveis tirarem notas melhores do que as minhas. 
Como se costuma dizer, o problema de muitas pessoas é terem a mente fechada e a boca aberta. 

Voltando Ao Porto

Há hora do almoço comunica-me o senhor meu pai, do alto da sua porreirice, que apesar de não estarmos a nadar em dinheiro ainda me poderia proporcionar se eu quisesse, uma viagem ao Porto pelo menos uma vez por semana para ver os meus conhecidos ou quanto mais não seja, para ver as montras. Agradeço em voz alta mas cá dentro penso que tão cedo não quero colocar os pés no Porto [pelo menos por vontade própria].
Permanecer estes dias em casa, mesmo que somente a uma hora de distância, transformou o Porto numa espécie de País das Maravilhas que eu não quero visitar mais. Que me perdoem os meus conhecidos e amigos mas actualmente penso na cidade do Porto e não tenho razões que me levem a visita-la.
Lembro-me que no começo de cada ano lectivo ou após um período de férias, nada me dava mais prazer do que revisitar aqueles sítios que eu adorava, lojas, jardins, etc. 
Agora quando vou ao Porto a minha vontade é de sair de lá o mais rápido possível directo para o conforto do meu lar.
Síndrome de bicho do mato? Certamente.  

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Propinas No Ensino Secundário

Uma pessoa já sabe que ensino gratuito em Portugal é uma utopia. O ensino NÃO é gratuito. E agora pelos vistos ainda menos com a ideia de colocarem propinas no ensino secundário. Quando estava a estudar a escolaridade mínima era até ao nono ano mas todos nós sabíamos que com isso não iríamos a lado algum e portanto teríamos de seguir com os nossos estudos para o dito ensino secundário. Segui um curso técnico-profissionalizante, não precisei de comprar livros mas todos os meses pagava uma quantia que, no final do ano, serviria muito bem para comprar os livros de que necessitaria caso frequentasse o ensino regular. Durante a minha licenciatura sempre fui aluno bolseiro mas o dinheiro que me era atribuído não cobria nem de longe as despesas que os meus pais contraíam para me terem a estudar. E atenção, estudei numa Universidade estatal. E acabei por sair do meu mestrado unicamente por razões monetárias, mestrado esse que estava a frequentar na mesma instituição de ensino em que me licenciei.
Portugal é dos países que mais investe na educação segundo se diz em diversos estudos. Para quê? Se investem na educação e depois deixam os alunos formados sem uma âncora? E agora com esta ideia corriqueira de introduzir propinas no ensino secundário fica assente que mais do que querer mandar os jovens embora do país o Governo quer mandá-los pobres e sem instrução.

Will.i.am - Scream & Shout [Feat. Britney Spears] [Video]

Partilho este vídeo só para atentarem na "voz" da Britney Spears:




A mulher está possuída! Aquilo é o demo a falar directamente da boca dela!

Evolução Das Tarefas Domésticas

Enquanto eu estava em aulas: dobby is a free elf now, dobby has no master!
Agora: Ora bem mãe, eu vou fazer as camas, aspirar, estender a roupa, ir ao lixo, lavar a loiça e varrer a cozinha né?

:(

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Falando De Promessas

Numa era globalizada torna-se quase impossível manter registo de todas as conversas que temos na rua, na internet ou onde quer quer que seja e muitas das vezes mesmo que tal registo existisse não teríamos tempo [ou vontade] de o revisitar. Por isso quando alguém que não faz parte do meu ciclo de amigos [e os que são realmente meus amigos sabem o quão difícil é para mim a atribuição desse adjectivo a uma terceira pessoa] se lembra de uma promessa que me fez há algum tempo, a menciona e a renova, sem que eu precise de lhe falar na mesma só me dá vontade de acreditar que neste mundo ainda existem pessoas decentes que infelizmente se perderam na imundice de todas as outras.

Opá Por Favor!

Um dos problemas de se ter um sotaque parolo como eu tenho é o de por vezes as pessoas não perceberem muito bem aquilo que eu digo. E pelos vistos o meu teclado deve ter sotaque também por que até mesmo quando eu escrevo as pessoas parecem não entender como se de chinês se tratasse [e logo eu que nem sei fazer aqueles símbolos que parecem saídos da mão do demónio]. Por exemplo quando eu escrevo que não quero nada com ninguém, que não quero nada com as pessoas, estas vêm antes uma declaração de amor eterno. Tenho medo de me estar a tornar num bicho do mato mas tenho ainda mais medo de ser burro e cair na mesma esparrela de há uns tempos atrás. Por isso quando começo a ver o caso mal parado, ou a querer andar para sítios que não quero só digo uma coisa:


Não digo com ar de pano da paixão, digo-o com vontade de me pôr no crlho o mais rápido possível!

E Aquelas Pessoas...

... que fazem a contagem decrescente do seu próprio aniversário para todo mundo ver como se o Facebook não nos avisasse à meia-noite? 


Tipo, nobody cares?

Amelia Lily - Shut Up (And Give Me Whatever You Got) [Video]

Tulisa - The Female Boss [Review]




Data de lançamento: 03/12/12

Tracklist:
01 Intro
02 Young
03 Live It Up [Feat. Tyga]
04 Damn
05 British Swag
06 Live Your Life
07 Visa [Feat. Willey]
08 Foreigner
09 Skeletons
10 I'm Ready
11 Steal My Breath Away
12 Kill Me Tonight
13 Counterfeit
14 Habit
15 Sight Of You
16 Outro

Após ter monitorizado a primeira girlsband a ganhar o X-Factor Britânico e ter deixado escapar na edição seguinte uma das melhores vozes que por lá passou, a jurada e membro do trio N-Dubz a britânica Tulisa Contostavlos lança o seu álbum a solo "The Female Boss" ao qual já fiz menções não muito boas mas prometo redimir-me nesta review. Por isso acabarei esta review com notas positivas mas antes, os pontos negativos de "The Female Boss"
Assim como os álbuns de Cheryl Cole, como os mais recentes lançamentos de Miss Britney Spears, também este "The Female Boss" vive da produção e não da artista. Êxitos como "Young" ou "Live It Up" vivem da produção e não da cantora e isso é uma constante ao longo do álbum. Depois a total ausência do momento "WOW", aquela música de fazer querer comprar este lançamento, não existe. O mais próximo que iremos encontrar será "Counterfeit" balada escrita por Diane Warren que escreveu muitas das baladas para as cantoras do outro lado do Atlântico como por exemplo "I Was Here" de Beyoncé. Menciono esse tema em particular por que também alí se encontra a total ausência do momento alto, o tema simplesmente se prolonga num lamento monocórdico e monótono. Sendo a única balada propriamente dita no álbum ["Sight Of You" tem uma toada mais dançável] deveria [teria obrigatoriamente] de fazer jus ao seu estatuto de balada, se é que tal estatuto existe. Portanto "The Female Boss" deve, para evitar desilusões futuras, ser encarado como um álbum de música de dança/urbana do principio ao fim. Quem não gostar do estilo não encontrará aqui motivos para mudar a sua opinião por que apesar de toda a produção envolvida Tulisa não conseguiu adicionar nada de novo e limitou-se a fazer o que já fazia com a sua antiga banda e isso já muitos conheciam.
Pontos positivos sobre "The Female Boss" ? O simples facto de esta senhora ter SWAG. Pode não ter um alcance vocal extraordinário mas tem atitude ["British Swag" ou "Kill Me Tonight" são bons exemplos disso]. E posso afirmar que "Visa" é uma das músicas com mais atitude que ouvi dentro do género desde há muito tempo?
E é isso que Tulisa tem para oferecer, atitude. Uma cantora americana dos pés à cabeça mas no mercado britânico. "The Female Boss" seria o álbum que esperaria de Rihanna ["Unapologetic" foi uma tremenda desilusão] ou até mesmo de Nicki Minaj [não literalmente] ou seja reúne uma sonoridade que faz falta a um estilo que de tão gasto enveredou por caminhos pouco convencionais e consequentemente menos perceptíveis.  

6.5/10

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Quote




"The universe doesn’t give you the people you want in your life
It gives you the people you need
To help you
To hurt you
To leave you
To love you
To make you the person you were meant to be
It will be okay in the end
And remember
If it’s not okay
It’s not the end"

"Outro" - Tulisa

Aquele Olhar E Seus Significados




Vá eu não sou o Colin o'Donoghue [u wish!] mas vão por mim [que nunca ou quase nunca minto, só um cadinho ahah] o olhar que eu lanço ao ar quando estou a ouvir o meu pai à hora das refeições é IGUALZINHO.

Traduções possíveis [e verídicas]:

- Ainda não acabaste?
- How interesting, tell me more!
- Bitch are u serious?
- Come e cala-te!
- Tás a ver o meu interesse nisso?
- Tens noção do que acabaste de dizer?
- Não me vais deixar comer em paz?
- Já não gosto da comida, estás a piorar as coisas? [este só quando a minha mãe faz aqueles peixes que são 99% espinha e 1% peixe]
- Se eu não vou à missa não preciso de sermão em casa não achas?
- Isso interessa a quem mesmo?
- Não tens de ir trabalhar mesmo?
- Não me faças falar!
- Queres mesmo que te responda?
- Eu poderia falar mas sou superior [ahah]
- Tem tanta coisa errada no que acabaste de dizer!
- Eu não te conheço!
- Tu és meu pai mesmo?

O problema é que o meu pai já topou o meu olhar há muito tempo e mal o vê em vez de se calar ainda fala mais! Mas de qualquer forma para aqueles que queiram aprender a lançar olhares, força, vão praticando.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Lana Del Rey - Paradise [Ep] [Review]



Data de lançamento: 13/11/12

Tracklist:
01 Ride
02 American
03 Cola
04 Body Electric
05 Blue Velvet
06 Gods & Monsters
07 Yayo
08 Bel Air

Menos de um ano volvido desde "Born To Die" a cantora e respectiva equipa/editora acharam que estava na altura de dar algo mais aos fãs. Mas infelizmente, não estava. Lançar algo novo implica ter algo para mostrar, uma mudança, uma melhoria, algo que justifique uma compra por parte do público. "Paradise" não tem nenhum desses factores. Todas as músicas que aqui figuram poderiam ter estado no álbum anterior e outras de tão amadoras que soam ainda parecem pertencer à era Lizzy Grant ["Yayo" é uma regravação de um dos temas desse periodo] e isso é mau, por que a toada de todos eles em comparação com "Born To Die"  é demasiado amadora para ser levada a sério. Claro que temas como "Body Electric" ou "Blue Velvet" são dignos de serem escutados e apreciados mas na generalidade não justificam esta vontade louca de lançar algo somente para que a cantora não caísse no esquecimento por que a popularidade dela continua em alta, quer se goste dela ou não.
03/10

Apagando Contactos

Existia sempre AQUELE contacto que eu desejava apagar mas nunca o fazia. Se há coisa mais horrorosa é ter na nossa "lista de amigos" alguém que já foi tudo para nós e que agora não nos é nada. Passava pelo nome e pensava sempre que um dia teria de apaga-lo por que não fazia sentido continuar interessado em quem não se interessa por mim. Mas cortar o único vínculo que existe é sempre difícil por que quando a outra parte percebe ou ignora simplesmente ou fica sentida pois provavelmente esperaria que não chegássemos a tanto.

Fim Do Windows Live Messenger

Só há poucos dias soube que a Microsoft decidiu acabar com este programa. Não sei se fique feliz ou felicíssimo. Este programa é a prova de que há coisas que com o passar dos anos só conseguem piorar. Adicionaram isto e aquilo, coisas que não interessavam a ninguém para depois uma pessoa não conseguir sequer fazer uma chamada de vídeo. O meu computador não é topo de gama, já tem uns aninhos mas com 4 gigas de memória e não conseguir fazer uma chamada de vídeo sem que o programa bloqueasse, é dose. Claro que para as chamadas de vídeo há sempre o Skype mas chateia-me que mal apareça por lá me comecem logo a chatear para ligar a dita cuja. 
Depois, e como já estava farto de ver pessoal que só tinha Yahoo Messenger decidi dar uma hipótese e ver o tal programinha. 
A sério, experimentem o Yahoo Messenger, é pretty awesome e é a prova de que o Windows Live Messenger NÃO vai deixar saudades.


Fanboy Issues

"Fanboy (feminino Fangirl) é um termo usado em muitos fóruns para definir uma pessoa que não é só um fã de alguma coisa, mas é obcecada por ela e defende fortemente sua opinião ao respeito do assunto. Ignorando, quase sempre, a opinião alheia, sem estar, muitas vezes, aberto a novas ideias. Por achar que o que ama é melhor e muitas vezes atacar os que não concordam, eles são mal vistos por isso. Os objetos de devoção inclui empresas, personagens, seriados, mangás, jogos e softwares."

O.K esta semana regressou Once Upon A Time e aconteceu tanta coisa neste episódio que parecia ter o dobro da duração, principalmente quando o Gancho estava a ser ameaçado pela Cora. A sério, vi a minha vida a passar-me à frente à espera que ele morresse. 

Primeira aproximação da Cora: 


Segunda aproximação:


Mas heis que ela dá outra investida:


E finalmente quando ela o deixa viver e eu caio morto:


A sério, estava [sim, estava] a torcer para o Gancho virar boa pessoa e dar uma trancada na Emma mas quando no final do episódio vejo que ele já fez cagada e que não vai ser boa pessoa tão cedo só me apetece fazer isto:


Tava a torcer por ti carago!

A sério, o Colin O'Donoghue virou the main reason para eu ver Once Upon A Time.... 

domingo, 25 de novembro de 2012

Um "Resumo" De Sexta

Por que é que eu ainda não falei de sexta feira e da confusão que aquilo foi? Por que não me apetecia escrever testamentos.
Primeiro foi dar com o Sheraton o que já de si envolveu uma caminhada, perguntar indicações e andar às voltinhas. Tudo por que a entrada do hotel fica escondidinha nos antros de Satanás, deve ser para evitar as enchentes de clientes [sim, por que deve ser mesmo qualquer pessoa que pode pagar um luxo daqueles].
Fui com meia hora de antecedência mas mesmo assim quando cheguei tive de benzer-me por que a fila começava no andar de cima, ia pelas escadas abaixo e ainda dava uma curvinha. Vá, eu todo pipi no meu super-fato coloquei-me na fila e esperei. Não demorou muito para ver a fila a mover-se. Quando já estava no andar de cima começam a passar uma folhinha para colocar-nos os nossos dados, quando não é meu espanto ler na dita cuja que era necessário ter efectuado inscrição no site da empresa para poder estar no open-day. Só me apetecia dizer uma série de palavrões feios, mas como tinha ido de propósito para lá estar, optei por ficar até me dizerem que efectivamente me poderia ir embora. Começam a chamar as pessoas para uma sala e a senhora pára em mim. Escusado será dizer que ia dizer mal da minha vida mais algum tempo mas eis que permitem a entrada de mais algumas pessoas e lá fui eu todo feliz e contente. Já lá dentro, com umas sessenta pessoas, começam a apresentar a companhia sem antes pedirem encarecidamente àqueles que não tinham trazido cv ou tinham estado noutro open day para irem embora.  Depois de apresentarem a companhia e mandarem uma ou duas piadas secas as duas senhoras sentam-se cada uma de um lado da sala e durante três horas estive fechado naquela sala. No vídeo mostraram vários testemunhos de funcionários e mesmo que por alma de nosso senhor eu passasse a fase de ser escolhido ainda teria de ter formação e um teste final, tudo isto para depois ficar sujeito durante um ano a voar para onde me mandassem. Mas teria tudo pago, o que por sí só compensaria o salário que não era bem o que esperava [mais de 1000€ mas mesmo assim, esperava mais].
Quando chega a minha vez, e digo à senhora que não fiz a inscrição online pois na revista onde tinha visto o anúncio do open day não dizia ser obrigatório fazê-lo [e mesmo assim tinha tentado fazê-lo sem sucesso] eis que ela me diz que não era necessário e eu fico com uma vontade de lhe espetar com o papelinho que tinha sido dado no início. Preocupação primordial? Se tinha tatuagens ou piercings e saber as minhas qualificações [o que ia contra o que pediam visto que não requeriam nenhuma qualificação em específico e quiseram logo saber se eu já era licenciado].  Quando saí da sala ainda estava uma fila de todo o tamanho para lá entrar e eu dei graças a Deus por não estar no lugar daqueles coitados e coitadas que iam passar a hora de almoço lá.
Saindo, fui a um oculista ver se me aliviam as hastes dos meus óculos por que só eu sei como tinha as minhas orelhas, quase em ferida [eheh u know]. Vá ainda existem pessoas simpáticas neste mundo e fizeram-me isso à borla. Agora já não parece que estou a retirar vinte quilos das minhas orelhas, que alívio!
Depois, o regresso à malograda FLUP para tentar perceber quando me vão dar finalmente o meu certificado e referência multibanco para pagar a última das minhas propinas para aquela casa. Parece que o Sigarra ainda não funciona e por este andar as propinas de Dezembro só vão ser pagas quando o Rei fizer anos. Dizia-me a senhora da tesouraria que pelo menos até ao fim de Dezembro já sairia alguma coisa. No shit Sherlock, olha eles a adiarem o pagamento das propinas! Não têm pressa, mas eu tenho e como vou novamente ao Porto em inícios de Dezembro vou lá fazer barulho outra vez. O senhor meu pai sentir-se-á orgulhoso de mim!
Depois sem contar, acabo o dia a rir que nem um perdido, como é que uma pessoa passa sem aquelas duas parvas, a C e a M? Meninas u made my day.
E agora, como já se passaram dois dias e era suposto contactarem os candidatos escolhidos dentro desse prazo parto do princípio que fico em terra por agora.

Vendo A Pocahontas

A minha irmã: Aquela música é mesmo estúpida... Tem algum jeito andar a cantar "Quantas cores o vento tem"?
Eu: Oh filha o que é que queres, ela é daltónica.

sábado, 24 de novembro de 2012

Sobre Ter Um Álbum Em Número #1

Ainda a respeito da ideia de que o que vende muito é que é bom, ontem estava a ler algumas informações sobre a cantora Tulisa que é jurada no X-Facor e lança o primeiro álbum a solo agora no final do mês [já ouvi, no me gustou] e deparei-me com esta declaração que considero um must-read para aquelas mentes que ainda vão atrás do que está nos tops:

"Having a number one album isn't important. Let me tell you something, do you know how many artists go to number one in the charts and they release on a certain week because they know that in that week they have more chance of going to number one? Then they drop out of the album charts a week later and they might have sold 100,000 when they could have sold 400,000. For me, just like with N-Dubz, I don't care about having a number one album, I care about going platinum. I care about the overall sales. What's the point in having a number one but people saying, 'She only sold 60,000 though'? I don't want that. Most people these days kind of drop the one single and then the album but that was one thing I said I would never do," she explained. "I have to put the background work in. I've got to give people a reason to buy it. I want to prove myself this year, more than ever, as a musician and as a solo artist."

Claro que o propósito de se lançar um álbum mais do que vender deveria, num mundo perfeito, ser somente partilhar o trabalho de um artista, mas já que se toca nas vendas, esta é uma citação à qual dou toda a razão.

Conversas No Facebook

Eu sei que agora as pessoas estão muito ocupadas em dizer mal do Facebook e de como os blogues são melhores mas eu preciso do Facebook para ter conversas parvas, para me rir que nem um perdido. As minhas desculpas à S mas esta conversa é simplesmente épica, tenho de partilhar:


"
[...]
Eu: sabes pois, Les Miserables!
S: Hmmm... não sei do que se trata. Nunca ouvi falar.
Eu: é sobre o Hugh Jackman basicamente... lol
S: Nem sei quem é tal criatura. Isso é o que? Um extraterrestre? Ou uma nova raça hibrida de cães?
Eu: é um DEUS
S: Ah desculpa. eu sou pelo ateísmo.
Eu: eu também, mas depois converti-me... lol
S: Ahhh... mas que? Ajoelhas e rezas? :p
Eu: é! o que eu gosto de rezar... lol
S:  Imagino! Mas pronto, depois lembra-me lá disso
Eu: como se fosse possível esquecer-se uma coisa dessas.
"

Se não fosse o Facebook eu não conseguia ter conversas como esta!

Rebecca Black - In Your Words [Video]


Vá, podem passar aquela parte de dizerem mal de mim por postar isto.
Mas a Rebecca Black no fundo, bem no fundinho, faz-me ter fé na humanidade, por que para quem lançou aquela coisa chamada "Friday" e aparece com uma música destas é por que o mundo não está destinado a piorar em tudo. 

Com E Sem Autotune [Video]

Há cantoras/es que cantam mal e nem o autotune os salva infelizmente. Porém há casos em que não percebo o por quê de insistirem que é mesmo necessário usa-lo para ganhar fãs. Vejam o caso da Alexandra Stan, vi estes vídeos da mesma música e até me passei:



Já não é a primeira vez que ouço versões acústicas das músicas dela e fico tipo, Oo qual é a necessidade de usar autotune na voz dela? Tudo bem, não é nenhuma Whitney mas tem uma voz fofinha e aposto que muitos de vocês não estavam à espera de que ela cantasse assim ao vivo.
E aquele violino dá um toque engraçadíssimo à música.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Divagando Pelo Monte

Ontem já não aguentava mais estar em casa e fui dar uma volta. Opá é preciso, nem que seja para dizer mal da minha vida baixinho sem ninguém ouvir. Mas depois lembrei-me que moro numa porcaria de uma aldeia. Sabem por onde andou o senhor Logan? Pelo meio do monte, sujeito a perder-se, magoar-se ou pior ainda ser violado no meio dos pinheiros e eucaliptos [vá, dependendo da violação eu podia queixar-me OU não]. A sério o Capuchinho Vermelho quando foi a casa da avozinha deve ter passado aqui pela Parvónia só pode, por que monte/floresta é o que mais há pelas redondezas. E nem posso dizer que se me meter no monte irei parar a algum mundo encantado ou algo do género por que a única coisa que se vê é mais monte, mais lama, mais árvores, mais tudo aquilo que considerem que um monte deve ter. 
Nem é possível pensar-se na vida enquanto se passeia pelo monte, não é! É fofo pensar-se na vida enquanto se está na cidade a ver as montras ou a percorrer ruas cheias de gente e nos achamos pessoas com uma densidade emocional superior à do comum dos mortais. Não é fofo pensar-se no que quer que seja quando se passeia pelo monte. É assustador. Bastou ver passar um carro por mim no meio de nenhures que pensei logo:

" LOGAN! os três já ninguém tos tira, mas tens algumas peças de roupa no corpo que podem não voltar contigo para casa!"

Claro que isto fui eu a passar-me da cabeça sem razão nenhuma pois o carro continuou o seu caminho e eu continuei o meu sempre com aquele cheirinho de medo entranhado na roupa interior [vá sempre é melhor do que certos cheiros que circundam essas partes].
E tanto andei tanto andei que cheguei a casa com a mesma disposição com que tinhas saído. E lá tive de ouvir o "Ah e tal não sei quê estás em casa há meia dúzia de dias e andas para aí pareces o pano da paixão."


Pois bem amanhã o pano da paixão vai vestir o seu fato que lhe assenta muito bem e vai deprimir para o Hotel Sheraton. Por que até para se deprimir é preciso ter classe!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Apresento-vos O Senhor Exagero:

... ou melhor dizendo, o meu pai.

Eu: Pai, como sexta-feira  vou ao Porto passo por um oculista para ver se me conseguem aliviar as hastes dos óculos que estão apertadas e me magoam as orelhas.
Pai: O QUÊ? TENS AS ORELHAS EM FERIDA E NÃO DIZES NADA???

A minha cara:

A sério, cá em casa alguém deve ser aparentado ao Artur Albarán só pode, o drama, o horror... às vezes reagem de forma tão radical que só me apetece dizer:


Mas não se deixem enganar, at the end of the day o senhor meu pai é pretty awesome.

Vídeos De Bullying

Uma pessoa sabe a quantidade de lixo que se vê na internet nestes dias, deve ser por se aproximar o fim do mundo, não sei. Uma das coisas que mais aparece por aí são vídeos de vítimas de bullying a dizerem mal das suas vidas, a ameaçarem suicídio  a chorarem que nem madalenas entre outros cenários perfeitamente lamentáveis. Este tipo de vídeos são a prova de que por vezes os nossos pais têm razão quando dizem que fazemos tempestades em copos de água. 
Não sei ao que é que as pessoas chamam de "bullying" hoje em dia mas posso afirmar que durante o ciclo tive a minha dose q.b de problemas relacionados com aparências/insultos/violência e saí-me bem, quer dizer, estou aqui não estou? [posso não estar muito bem mas pronto, estou aqui, já não é mau lol] Não precisei fazer vídeos a chorar, a dizer mal da minha vida, a dizer que ninguém me compreendia, a dizer que ninguém queria saber de mim. Fazem-me lembrar daquelas pessoas que estão deprimidas e vêm um filme triste para chorarem mais, por amor da Santa. Qual é o resultado que esperam obter com este tipo de humilhação? Que alguém no seu quartinho veja aquilo e ache que a sua vida é bem melhor? Que alguém se identifique e chorem as duas em conjunto para pouparem lenços de papel? Oh por favor... O tempo que gastam a fazer esses vídeos teria sido poupado se tivessem levado um bom par de estalos dos pais que os tivessem acordado para a vida e lhes dissessem que ninguém irá fazer nada por eles só por os ver chorar num vídeo lamechas de quinta categoria.
Quando eu, menino da terrinha, fui estudar para a cidade e vi que as pessoas que se preocupavam em dizer-me o quão anormal eu era para elas eram tão ou mais ignorantes que eu, caguei alto e a bom som.
Depois mais tarde li uma citação de um actor anão chamado Peter Dinklage [que participou no filme "Crónicas de Nárnia - Príncipe Caspian"] e a partir desse momento nunca mais me chateei:

"[On short stature]: When I was younger, definitely, I let it get to me. As an adolescent, I was bitter and angry and I definitely put up these walls. But the older you get, you realize you just have to have a sense of humour. You just know that it's not your problem. It's theirs." 

O problema só passa a ser nosso se o aceitarmos como tal.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Gloriana - Can't Shake You [Video]



Versão baratinha dos Lady Antebellum mas mesmo assim, pretty awesome :)

Kelly Clarkson - Greatest Hits: Chapter One [Review]


Data de lançamento: 16/11/12

01 Since U Been Gone
02 My Life Would Suck Without You
03 Miss Independent
04 Stronger [What Doesn't Kill You
05 Behind These Hazel Eyes
06 Because Of You
07 Never Again
08 Already Gone
09 Mr. Know It All
10 Breakaway
11 Don't You Wanna Stay
12 Walk Away
13 Catch My Breath
14 People Like Us
15 Don't Rush
16 A Moment Like This
17 I'll Be Home For Christmas

A par das covers considero álbuns de greatest hits uma perda de tempo. Convenhámos que na maioria das vezes ninguém irá ficar a conhecer um artista por causa de um lançamento deste género e todos os fãs já conhecem os temas que aí figuram, salvo um ou outro tema novo que seja adicionado propositadamente. Esta colectânea surge na altura em que a cantora já tem cinco álbuns de estúdio e já se pedia um resumo de uma carreira que começou há quase dez anos. Porém a verdade é que o resultado final é desapontante de vários pontos de vista começando pela omissão praticamente total do terceiro álbum "My December" do qual somente figura a faixa 07 ou seja não interessou à editora um álbum que não foi feito para agradar às massas e que mostrasse uma artista diferente. "Não vendeu bem? Não era o que seria de esperar de uma cantora pop? Vamos omiti-lo como se nunca tivesse existido!". O que é uma pena por que teria sido uma mais valia para salvar este álbum redundante  Até músicas em que é somente convidada [faixa 11] foram colocadas ao invés das suas próprias.
Kelly Clarkson conseguiu desde cedo algo que muitos artistas não conseguem numa carreira inteira: firmar um estilo. Com mais ou menos fãs manteve esse estilo desde o seu "Breakaway" e por aí continuou. No entanto enquanto que em outras colectâneas como [a título de exemplo] "Greatest Hits: My Prerogative" de Britney Spears ou "Keeps Gettin' Better: A Decade Of Hits" de Christina Aguilera é efectivamente possível notar uma maturação da sonoridade, aqui torna-se impossível o que leva à triste conclusão [que desde há muito me assombra] de que Kelly Clarkson está a fazer o mesmo álbum há anos. Não que isso torne os seus álbuns maçadores ou provas de uma falta de criatividade mas vistos nesta retrospectiva de carreira é a sensação que fica a quem ouve esta colectânea. 
Depois para compensar a compra deste resumé juntam-se três temas inéditos [faixas 13, 14, 15] que parecem ter sido feitos em cima do joelho para serem incluídos neste lançamento e que não se enquadram de todo na sonoridade do conjunto. E posso só falar da imbecilidade que foi colocarem um tema de Natal [ainda para mais uma cover] a fechar o alinhamento? Uma tema que foi incluído somente num Ep de Itunes Sessions? 



No final este álbum serve para que se veja tudo o que NÃO se deve fazer numa colectânea, transformando uma carreira de sucesso numa carreira de redundâncias. 
_/10




Ellie Goulding - Figure 8 [Video]

Eu Contra O Mundo [Imagem]


Ahah pois é!



segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Problemas De Gente Feia


É não é? Somos demasiado feios para namorar com a pequena sereia mas quando nos aparece a Úrsula toda interessada em nós, vai de retro Satanás!

Ella Henderson

Eu sei, eu sei que me farto de dizer que nesta vida já nada me surpreende mas opá não consigo ficar impávido e sereno quando vejo o que se passou ontem há noite!


Ella Henderson, esse VOZEIRÃO de apenas 16 anos foi mandada para casa a um passinho de ficar na final e perdeu contra um pseudo-gigolo. Para cúmulo outro dos finalistas é um gayzola de primeira apanha que parece a Briney Spears a cantar ao vivo [quando ela canta ao vivo né?]. Já queria ter falado da Ella aqui antes e é com pena que me vejo a falar dela por causa disto. A sério, esta moça NÃO pode sair do música não pode, não pode! Deixo-vos uns vídeos da menina mas convém que segurem os vossos queixos.





E podia continuar por aí fora. Para quem gostou da mocinha, esta é a sua página de FB, é tudo a dizer à moça o quão estúpidos foram os ingleses por a terem deixado escapar! É por isso que programas em que a votação do público é que decide são uma grande banhafa!


O Pano Da Paixão

"Ah e tal não sei quê estás em casa há meia dúzia de dias e andas para aí pareces o pano da paixão." - Disse-me ontem a senhora minha mãe mais ou menos com estas palavras [para quem não conhece, "pano da paixão" é cara triste, não é cara de anormal piegas apaixonado]. E ando vá, tenho de confessar. Mas tudo isto por que uma coisa é estar- se de férias e saber-se que daqui a um, dois, três meses uma pessoa irá voltar ao que fazia antes e gramar a pastilha outra vez. Outra coisa é não se saber se vai acontecer algo no próximo mês, ou no seguinte, ou no mês a seguir a esse. E a senhora minha mãe parece esquecer-se disso. E ainda não começou o senhor meu pai a passar-se da real mona por que quando isso começar a acontecer, meus ricos filhos, corram para as colinas.

domingo, 18 de novembro de 2012

Próxima Paragem: Emirates Airline



Pois é, ainda tento alguma coisa neste país à beira-mar plantado a ver se não dou de frosques tão cedo. Próxima paragem? Hotel Sheraton no Porto na próxima Sexta para o Open Day de recrutamento de tripulantes de cabine.
Isto se não fosse tão dramático seria até cómico pois nunca pus os pés num avião [sim, é verdade, pessoa da aldeia é assim] e estou a candidatar-me para trabalhar num a tempo inteiro. Os meus pais mesmo sabendo disso disseram logo "Amén" à ideia, antes ter o filho cagado de medo a andar de avião do que cagado de medo e sozinho em Edimburgo. Mas verdade seja dita, prefiro mais a segunda opção por que quero mesmo muito [tanto como o Passos Coelho quer sair do governo] ir viver para o Reino Unido.
Mas como já me apercebi que nesta vida ainda vou ter de suar muito para ter aquilo que quero lá vou eu tentar a minha sorte.
Será que o meu pai tem algum fato que me sirva? oO

Little Mix - DNA [Review]



Data de lançamento: 19/11/12

Tracklist:
01 Wings
02 DNA
03 Change Your Life
04 Always Be Together
05 Stereo Soldier
06 Pretend It’s OK
07 Turn Your Face
08 We Are Who We Are
09 How Ya Doin’ ?
10 Red Planet
11 Going Nowhere
12 Madhouse

 O fenómeno Spice Girls teve uma repercussão tal nos anos 90 que desde então as pessoas não estão muito interessadas em ouvir falar de girlsbands [embora tenham surgido várias desde então com sucessos variáveis]. Por isso quando estas meninas, vencedoras da oitava série do X-Factor britânico, lançam o seu álbum de estreia como sendo a nova girlsband sensação no Reino Unido um sem número de lugares comuns é esperado e infelizmente elas não são a excepção à regra.
Numa girlsband existe sempre aquele membro que canta melhor, é um facto. Aqui é a loira Perrie Edwards que tem um vozeirão que apaga completamente o das colegas. Por isso a sua voz fica reservada para aqueles gritos finais de que as pessoas gostam. Escusado será dizer que em muitos dos temas mal se nota a sua participação durante a maior parte da música por que isso implicaria suplantar as colegas. Mas é importante frisar que cada uma tem voz, um estilo próprio e não há aquela ideia de que alguém está ali para servir de sombra. Jesy Nelson [a da parte superior esquerda da capa] tem os momentos beatbox e a voz rouca e entrecortada,  Leigh-Anne Pinnock [parte superior direita] os momentos “hip-hop”  e foi talvez a que mais me surpreendeu pois sempre tivera a sua voz como a mais fraca mas superou-se neste álbum,  Jade Thirlwall [parte inferior direita] tem a voz de cantora R&B a fazer lembrar Beyoncé e semelhantes e Perry Edwards, bem, tem o vozeirão.
Teen pop típica de girlsband. Este é talvez o ponto mais fraco deste álbum. Quem ouvisse o tema-título, uma espécie de “E.T” de Katy Perry esperaria encontrar músicas com mais atitude, que se destacassem do quê seria expectável. Porém temas como “Always Be Together” , “Change Your Life” ou “We Are Who We Are” conseguem ser de uma banalidade desapontante.  Em contrapartida conseguem apresentar temas como “Pretend It’s OK”, “Red Planet” ou “Going Nowhere” que por si só arrumariam todas as outras girlsband surgidas nos últimos anos por que são deveras temas com uma aura completamente diferente do que seria de esperar.
Tenho de realçar o que já no programa era apontado pelos jurados e que eu penso ser verídico: não se pode esquecer que estas meninas foram juntadas por terceiros e não por obra de Nosso Senhor Jesus Cristo mas a verdade é [e ouvindo o álbum muitos o entenderão] é que estas meninas parecem ter sido destinadas a cantarem umas com as outras. A falta de harmonia vocal entre elas, um dos problemas apontados por Kelly Rowland durante os shows,  está morta e enterrada e é impossível conter um sorriso quando se ouve “Pretend It’s OK” ou “Change Your Life” [ou a versão acústica do tema-título presente na versão deluxe do álbum] e são perceptíveis harmonias vocais perfeitamente executáveis. Viver e aprender minha gente, parece que já provaram aquilo que queriam.
Em suma, quem espera ouvir algo de verdadeiramente novo em “DNA” sairá desapontado por que é um álbum de estreia pop de uma girlsband pop saída de um concurso mainstream. No entanto para quem quer ver como se dá um pontapé no cliché das girlsband sem talento ficará agradavelmente surpreendido.
7.5/10

sábado, 17 de novembro de 2012

O Que Se Decide Por Aqui: Edimburgo






Era uma ideia na qual já tinha matutado e ontem após um contacto pude deveras decidir uma coisa: Edimburgo é o meu backup plan. Mas Logan por quê Edinburgo? Será um tiro no escuro, mas dentro de um mar de inseguranças esta parece-me ser a mais segura de todas elas. Na próxima Sexta estarei no Hotel Sheraton para o recrutamento de comissários de bordo para a Emirates Airline. Será o meu último tiro aqui. Uma das coisas que dizia a mim mesmo caso fosse para fora era que não iria lá para fora fazer algo abaixo das minhas habilitações e que pudesse ser feito aqui. No entanto aqui já não se pode fazer nada e com um empurrãozinho vou-me embora quanto antes.

O Que Se Ouve Por Aqui:

Deus me perdoe mas dou por mim a ouvir estas coisas mais pela batida do que por outra razão qualquer. Isto sou eu depois de meio mês em casa, esperem pelo resto! E não me crucifiquem pelo mau gosto!



sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Daqui A Um Ano



Acho que é umas das coisas que raramente faço e quando faço tenho respostas que não me satisfazem. Um ano pode ser muito ou pouco tempo, dependendo do que se viveu durante 365/6 dias mas a verdade é que aquilo que vivo em 48 horas é vivido de forma intensa mas com a chegada da 49ª hora tudo parece menos bom ou menos mau, consoante o assunto. Estou numa fase de me querer atirar a qualquer coisa, de querer sair do país, queria muito e estou a apoiar-me em qualquer coisa. E tudo aquilo que estou a viver ou a querer viver agora valerá a pena daqui a um ano? Tudo bem que só saberei se tentar mas apoiando-me numa esperança como me estou a apoiar agora, se vai tudo abaixo não há mais volta.

My Best Friend [Imagem]


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O Que Nos Prende

Vá, as expressões idiomáticas são muito traiçoeiras. Quem está preso no verdadeiro sentido da palavra não tem outra escolha senão a de estar preso. Mas quando nos prendemos a alguma coisa ou a alguém por nossa livre e espontânea vontade o caso muda de figura. É triste [e um bocado maçador] ouvir pessoas a dizerem que na sua vida não fizeram isto ou aquilo por terem algo ou alguém a prende-las [quando na verdade foram as próprias que fecharam as algemas]. Tão ou mais triste [dependendo do ponto de vista]  é perceber- se que não há nada a que nos prenda, que não importa o que se queira fazer ou para onde se vá que não há nada que valha a pena apontar como um verdadeiro motivo para não se ficar onde se está. E com a certeza que de este mal se irá repetir para onde quer que se vá.

David Guetta - Titanium [Video]


Mais uma vez peço desculpa pela azeiteirice que tem rondado o blogue nestes últimos dias, mas hoje deu-me para ouvir esta música.

Aquele Momento:

... em que nativos britânicos e norte-americanos me dizem casualmente que o meu inglês é excelente e eu fico todo:


Mas do fundo das minhas entranhas eu quero que assim seja. Se há coisa que me assusta é ficar destreinado no inglês, hoje em dia quem não sabe inglês arruma para o lado e só não me aplico mais no francês por que acho uma língua horrorosa para se falar [a sério]. 
Como a maioria das pessoas muito do inglês que aprendi encontrei-o nos jogos, nas músicas, e desde o 12º que tem sido esse o meu método de aprendizagem, esse e falar com nativos. Uma das coisas que recomendam para se aprender inglês e que eu nunca consegui fazer é ver filmes sem legendas. Não consigo. Quando muito ver com as legendas em inglês, talvez por ouvir um cadito mal, não sei. Queria tanto tanto [mas tanto] ir trabalhar para o Reino Unido mas tenho medo que este inglês que aqui é valorizado ali seja uma porcaria.  Depois volta e meia os sotaques deles são esquisitos e uma pessoa não percebe nem metade do que nos dizem. Como a minha área não é fácil para se arranjar trabalho tenho procurado sobretudo anúncios ligados a hotelaria mas acredito que metam alguém que não domine a língua de forma exímia. Para além do mais muitas das conversas que tenho não são de teor culturalmente discutível:

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Dia De Greve

Não sei se terá uma grande adesão ou não. Quem faz, fará também por uma parte da população que não se atreve a faltar ao trabalho por muito que digam que neste modelo de governação a greve é um direito dos trabalhadores. Por que este governo facilita os despedimentos, é a favor dos patrões, e quem ganha o salário mínimo e necessita do trabalho para se sustentar a si e à sua família não se pode dar a esse "luxo". Porém parecem existir pessoas que se esquecem disso. 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

As Duas Melhores Músicas De Sempre [Video]



Isto é de se ir às lágrimas


Ai que calor [x5]
Que boa sou, que mamas tenho
Quero um homem que me leve para a praia,
Que me meta a mão na saia,
Que me tire este calor.


__________________________________

Música da banana:

Chupa na banana, dou-te o ananás
Sou boa na cama na frente ou por trás
Na frente ou por trás, sou boa na cama
Chupa na banana, dou-te o ananás



Do Trabalho E Da Experiência



Já quando andava no secundário  e precisei de estagiar me dei conta deste triste paradoxo. É um paradoxo tão ou mais ridículo como o Governo querer que a economia melhore enquanto reduz  os salários dos trabalhadores a olhos vistos.
Os estágios que realizei no secundário eram gratuitos, não precisavam de pagar o quer que fosse e mesmo assim a maioria das empresas não queria. Muito provavelmente por pensarem que ter um estagiário implicaria ter de explicar tudo como se viéssemos todos da Parvónia.
Passando os olhos por anúncios de emprego é do que mais se vê. Será que é assim tão difícil perceber que irá chegar uma altura [provavelmente já chegou] em que as empresas terão de se render às evidências de que hoje em dia não há possibilidade de se conseguir ter experiência no que quer que seja pois não há trabalho?  Claro que há cargos que implicam ter conhecimentos de empregos prévios mas noutros é ridícula a lista de exigências que fazem e muitas das vezes para pagarem uma vergonha. Dá vontade de inventar uma série de cartas de recomendação do pé para a mão para aldrabar esta gente. Depois ainda existem os fantásticos "Quer ganhar muito dinheiro em pouco tempo?"  Opá que paródia, quando vejo anúncios desta índole lembro-me logo do papel afixado à porta da cantina da FLUP: "A refeição é constituída por um prato de carne OU peixe Ou dieta OU vegetariano...". Ou seja, hoje em dia NÃO DÁ para se ganhar muito em pouco tempo, uma pessoa tem de escolher entre ganhar muito ou trabalhar pouco tempo. Ou escolher não trabalhar por que este tipo de anúncios são uma grande aldrabice. 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

domingo, 11 de novembro de 2012

Quote



"some words they can't be spoken only sung" 

Gary Barlow

Panicar Às Quatro Da Manhã

Ando tão "nas nuvens" que já acordo às quatro da manhã a pensar em ir para Inglaterra. Não, sosseguem as vossas passarinhas que não vou. Mas queria muito.  E o pior é que quando quero algo começo a informar-me só para depois ter o [des]prazer de acabar entristecido mas informado.Quartos, vistos, etc, já andei a ver tais informações mas sinceramente, é muito complicado, ainda mais para mim que sou um trengo de primeira apanha. Verdade seja dita que 90% das vezes são os outros que dizem que sou trengo e eu não faço nada senão acreditar neles. Nem sempre todos os insultos que nos dirigem são falsos. E eu sei que é por causa da minha trenguice aguda que nunca irei para lado nenhum. Mas começo a panicar de estar em casa sem fazer nenhum. Uma coisa é estar-se de férias e saber que não há preocupações. Outra é querer trabalhar e não se conseguir nada. Bah...
Para acabar em beleza acho que nunca partilhei nenhuma foto da minha gata:



Datas E Revelações

O mal de se ver muitas novelas é ficar-se com aquela ideia muito pomposa de se fazerem anúncios em datas especiais como casamentos, aniversários e afins. Uma revelação, uma resolução, o que quer que seja.
E eu, que não sou de fazer resoluções tinha decidido há algum tempo, fazer uma revelação no dia dos meus 23 anos. Por que é o meu aniversário e por que eu gosto do 23. Mas depois penso que iria estragar a data e passaria provavelmente a ter um significado menos bom. E penso também que tenho cagufe de fazer revelações seja em que data for. 

sábado, 10 de novembro de 2012

Samantha Jade - Turn Around [Video]


Samantha Jade é uma das finalistas da actual edição do X-Factor Australiano. Aquando do lançamento deste e outro single, "Step Up" estava planeado o lançamento de um álbum que nunca viu a luz do dia. Estava-se então em 2007. Passados cinco anos ela tentou a sua sorte num programa de talentos. É preciso ter "colhões". Quando soube que era uma das finalistas fiquei nostálgico, adorava esta música.

Anastacia - It's A Man's World [Review]



Data de lançamento: 09/11/12

Tracklist:
01 Ramble On
02 Best Of You
03 Sweet Child O' Mine
04 You Can't Always Get What You Want
05 One
06 Back In Black
07 Dream On
08 Use Somebody
09 You Give Love A Bad Name
10 Wonderwall

Se existir um prémio para a pior promoção de um álbum irá certamente para "It's A Man's World" do qual quase ninguém deve ter ouvido falar. Depois do fracasso que foi "Heavy Rotation" seria de esperar um regresso mais badalado e original. Ao invés disso temos um regresso praticamente não publicitado e feito num álbum de covers. Quem lê o blogue já sabe o que penso de covers, são engraçadas mas completamente desnecessárias pois parecem servir de desculpa para não se ficar muito tempo silenciado.
No entanto olhando para a tracklist não pude deixar de pensar que com este álbum a cantora iria regressar aos tempos do seu álbum homónimo que para mim é um dos melhores álbuns de sempre [no kidding]. Ao ouvir o avanço "Best Of You" esperava um álbum mais "pesado" mas temas como "One" ou "You Can't Always Get What You Want" comprometem essa vontade. Porém na generalidade o álbum mostra o suficiente para se desejar que a cantora deixasse de fazer canções pop de quinta categoria e se dedicasse por inteiro a uma sonoridade mais rock. Pena que tenha optado por o fazer num álbum de covers que na maioria dos casos são mal recebidas pelos fãs das bandas cujos temas aparecem na lista.
_/10

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Eu E Pablo Alborán

Como diz a Wendy, "faz crescer aquele nervoso miudinho..." quando as pessoas só conhecem o Pablo Alborán por causa da música com a Carminho. Geez a sério, conhecem mais alguma música do homem sem ser aquela? E para culminar convém dizer que em comparação com as outras essa é uma verdadeira merda [sorry, é mesmo].
Para quem quiser conhecer a VERDADEIRA música do Pablo, enjoy:



Para o raio com o dueto da Carminho irra...Eu ADORO violinos e afins e as músicas dele estão cheias deles ^ _ ^ 

Wendy, se depois quiseres os direitos autorais avisa :D