quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Lyriel - Wenn Die Engel Fallen [Video]

Não Há Dois Filhos Iguais

Dizem as senhoras de idade e os pais babados que não há dois filhos iguais. E é verdade. Modéstia à parte na primária e quinto ano eu era um aluno muito bom, não daquele tipo de tirar cinco em tudo mas destacava-me dos demais pela positiva. Depois veio o sexto ano, eu comecei a fazer triângulos com quatro lados e a coisa descambou um bocadinho [a culpa não era minha, eu só fazia o que o compasso e o transferidor queriam que eu fizesse].  Mas os meus pais nunca mais se esqueceram de que eu tinha sido um aluno daqueles de fazer babar até a mais insensível das criaturas e fizeram o favor de me lembrar isso a minha vida toda. Com a minha irmã eu só pensei que se ela fosse minimamente esperta não se tentava "armar em esperta" pois caso o fizesse desde cedo então seria crucificada pela vida fora pelos pais que tiveram o filho perfeito que entretanto se perdeu vá-se lá saber onde [eu sei, eles é que convém nem ficarem a saber].  Parece que a minha irmã seguiu o meu conselho mental e volta e meia tira umas notas de fazer chorar as pedras da calçada de tão baixas que são. Mas no fundinho eu admiro-a. Por que detrás daquele ar angelical/celestial da minha irmã eu consigo pressentir aquela atitude colhónica [relativa de quem tem colhões, peço desculpa pelo neologisco rasca] de "i don't give a fuck". Opá eu não era assim, quando tirava os meus 20%'s em Matemática [numa escala de 0 a 100]e cheguei a tirar uns quantos, era quem mais roía as unhas de tanto medo, mas ela parece estar o.k.  Vai é provavelmente ficar sem computador o que nos dias de hoje convenhámos é comparável à tortura do potro usado em tempos medievais
No fundo isto é uma chatice por que os meus pais estavam a contar com ela para salvar esta família de não ir para a cova sem ter um "Doutor" na família e a moça está com a ideia de querer ser nutricionista.

A Sério...

Ainda há pessoas que pensam que os gays se tratam uns aos outros por "querida/o"?


Ah dah, moram em que século mesmo gente?

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Passatempo Colin O'Donoghue

O site oficial/fansite oficial do Colin O'Donoghue está a promover um novo passatempo relacionado com o personagem do Colin em Once Upon A Time, o Capitão Gancho. Que se dane o Jack Sparrow [desculpem meninas apanhadas pelo Deep]. Isto foi só para aquelas almas que fizeram esta cara quando leram o nome do senhor:



Feitas as devidas apresentações, pode ser feito qualquer tipo de trabalho desde que relacionado com o O'donoughue/Capitão Gancho e a minha primeira reacção foi pensar que iria ter a mente a fervilhar de ideias.

Mas a verdade é que com este estado de espírito continuo assim:


Já não escrevo nada há montes de tempo [nada minimamente significativo diga-se de passagem], as últimas coisas que escrevi encontram-se no meu Tumblr e agora se for a pensar em algo para escrever a única coisa que me irá sair será uma letra para a marcha fúnebre.


E vá, eu queria ganhar qualquer coisa por que para além do autógrafo do Colin irá ser dado um prémio surpresa que quase de certeza será relacionado com a série e estou tipo criança mimada numa loja de doces, quero quero quero e quero.

Desafio De Lógica

Hoje ao informar-me sobre as novas regras de atribuição de passes sociais após falar com as duas empresas cujos passes compro mensalmente cheguei a esta conclusão: se peço bolsa de estudo é por que sou pobre e por isso tenho desconto nos transportes, mas se não tiver direito a bolsa então passo a ser rico e tenho de pagar os transportes por inteiro...
Será difícil de perceber que há pessoas que pedem bolsa por que sem ela não conseguem estudar? E que o dinheiro que se ganha nem sempre é superior àquele que se gasta?
Geez até eu que fui para letras consigo fazer as contas caraças.

A Minha "Descoberta" Musical De Hoje: Nicola Roberts

 Vá, não é propriamente uma novidade, mas ainda não a tinha dado a conhecer oficialmente aqui. Nicola Roberts é, a par de Cheryl Cole, Nadine Coyle, Sarah Harding e Kimberley Walsh um dos membros da girlsband Britânica Girls Aloud que se formou no concurso televisivo Popstars: The Rivals em 2002. Com a banda em banho-maria assim como outras colegas da banda que lançaram álbuns em nome próprio, Nicola lançou em 2011 o seu primeiro álbum a solo, "Cinderella's Eyes.


O álbum não se encontra muito longe do som da banda de origem, mas se comparado com os avanços a solo das colegas, pelo menos Nicola fez o favor de não exagerar nos efeitos vocais, e mesmo sem estes a sua voz é agradável.


Apesar de o álbum em si estar cheio de efeitos electrónicos é importante diferencia-lo daquele tipo de lançamentos em que os efeitos usados são mais fatelas do que as músicas em si mesmas [tenha-se por exemplo, "Kiss" daquela menina do "Call Me Maybe" que horror de álbum meu Deus]. 

Sei que a minha obsessão repentina com a Brit-pop é um bocadinho chata, mas ouvi o álbum desta menina há um ano e não gostei e agora que estou a ouvi-lo novamente, estou meio perdido.



domingo, 28 de outubro de 2012

Não Fazer Nada

Mais uma vez, vou falar da porcaria do dinheiro pode ser? Pode.


Parece que para os serviços de acção social os meus pais são abastados o suficiente para pagarem propinas de segundo ciclo sem a ajuda de nenhuma bolsa. A minha mãe à primeira diz que já contava com isto mas hoje diz-me que se assim for, não há mestrado para ninguém.




Já quando estava resvés Campo de Ourique para acabar a licenciatura sabia que se não acabasse este ano não havia mais nada para ninguém, mas caraças eu rezei tanto naquelas semanas que se não ficasse licenciado bem que podia dedicar-me ao sacerdócio por que já estava um pro a benzer-me. 

Passada essa fase menos boa e apesar das peripécias que tenho contado sobre Diplomática [vá, alguém tem de ser a ovelha negra da família] eu estou a gostar do meu mestrado, até ia trabalhar a figura do senhor Maquiavel em Teorias Políticas e tudo. 




Como sempre há aquela luzinha ao fundo do túnel, vá há duas: posso pedir reavaliação do meu pedido de bolsa e procurar saber se continuo a usufruir do desconto nos transportes públicos. Se se fecharem estas duas portas, bem se elas se fecharem o Logan aqui vai fechar as portas à FLUP e ficar tipo Quasimodo fechado em Notre Dame por que não sei o que vá fazer da minha vida. Nem para carregar baldes de massa sirvo porra.
Uma coisa é dizer que se está farto de estudar, é um facto, se existissem melhores perspectivas do que queimar as pestanas, então eu iria para a frente com isso. Mas não existem. 
E o que é que eu vou fazer à minha vida? 


sábado, 27 de outubro de 2012

Ignorância Alheia

Como muitos de vocês sabem, tenho uma língua de metro, a qual tenho tentado controlar. E tem dado resultado. Se há coisa que não suporto é injustiças e quando são injustos comigo não esqueço. E quando me pedem desculpas por injustiças cometidas para com a minha pessoa só me apetece desenrolar uma série de nomes feios para cima dessas almas. Depois começo a ver o que me dizem e percebo que não é preciso fazer nada. Há gente que se rodeia das pessoas erradas, manda embora as que nunca deveriam ter saído e depois ainda se congratula por isso. Não há maneira de me congratular com a ignorância alheia.

É Isso!

Há pessoas que confiam tanto em nós que nos deixam encarregues de fazer tudo. Depois queixam-se das cagadas. Mas nem por isso nos ajudam a fazê-las.
"É, faz isso." - dizem elas.
Well, u can go fuck yourselves then,

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Só 50?

Mais uma razão para comprovar a minha estupidez: inscrevo-me num Mestrado mas até hoje nunca me tinha perguntado qual seria a dimensão requerida para a minha tese.  Porém hoje em Diplomática, como quem não quer a coisa a Professora lá disse aquilo enquadrado noutro assunto que já nem sei qual é. 50 páginas? Eu sei que provavelmente irei suar como o porco que sou para conseguir fazê-la mas honestamente estava à espera que fosse algo bem mais extenso, talvez com o dobro ou o triplo das páginas que indico a vocês.

Universidade Sénior?

Agora vou fazer um post mauzinho. Na minha faculdade há muitas pessoas mais velhas a tirar cursos, licenciaturas, mestrados... Nada contra, a educação não escolhe idades e eu gostava de ter os tomates de muitos que vão para lá gastar o pouco que lhes resta das mioleiras. Agora há aquele pequeno [grande] problema que é a excitação deles. Sim eu sei que supostamente deveria ser mais compreensivo por serem pessoas de idade e não sei quê mas geez, parece que lhes enfiaram umas pilhas duracell pelo cú acima e têm de fazer tudo ali, agora, naquele local, naquele minuto, amanhã pode não dar. Calm down your tits. Depois uma pessoa tem de ser antipática pois tem, é que a vida está cara e as pilhas não são propriamente baratas. Deixem-me acabar o meu mestrado e depois podem gastar-me as pilhas que quiserem.

Momento Hilariante

Apesar das cobras e lagartos que tenho dito aqui sobre o trabalho de Diplomática há que dizer que a professor é uma curtida com um sentido de humor daqueles de se lhe tirar o chapéu. Ocorre, mais uma vez, que sou o único aluno ali que não vem da licenciatura em História e a quem muitos dos contextos são estranhos. Ao lembrar-se disso a meio da aula diz ela:

- "Nem quero imaginar a confusão que vai na sua cabeça agora."

Ao que eu respondi:

-"É que não queira mesmo!."

Obviamente que não estava a falar só da cadeira dela... lol

Anastacia - Best Of You [Video]


Mentes fechadas irão sempre dizer que as covers são uma merda. Como fã que sou do vozeirão desta mulher tenho de dizer que esta cover ficou um mimo, gosto da original e penso que lhe fez justiça. Acresce o facto de este som fazer lembrar o "Anastacia" o melhor álbum que ela lançou até à data.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A Ver:

O ÚLTIMO episódio de World Without End:


Por que é que ao invés de fazerem séries da treta sobre vampiros da treta não criam séries como World Without End?

Ruby Sparks E A Forma De Amar



Ontem despoletei o meu lado feminino e pus-me a ver esta comédia romântica. Uma das piores coisas das comédias românticas é a de por vezes representarem o comum dos mortais que as vê.
Desta vez é na forma de amar. Mais errado do que não conseguir amar é amar de forma errada e não o assumir de tão cego que se está. E fica sempre a dúvida de se ter realmente amado alguém ou se apenas se amou da forma errada.

Lógica?

Tenho espinhas e peço à senhora minha mãe para me comprar creme. Aplico o creme e no dia a seguir aparecem-me duas ou três de uma assentada. Lógica?


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Relógio Biológico?

Por vezes aqui e ali leio posts sobre o desejo de maternidade/paternidade, como por exemplo no blog da IceQueen o que acaba por me deixar com a pulginha atrás da orelha, o que me incomoda imenso visto precisar das duas orelhas para segurar as astes dos óculos. Não que eu queria filhos/as, vai de retro Satanás, eu e crianças seria o horror dos horrores. Mas começo a pensar que não vou para novo [drama king] e que não é tarde nem é cedo para começar a assentar. E depois percebo que há três anos, quando comecei a escrever aqui, teria provavelmente o dobro da libido que tenho actualmente. Mas agora que já se passaram as alturas de namorozinhos de infantário e relações inconsequentes, não seria bom assentar? E não é estranho que exista o desejo de assentar mas que esteja em falta a vontade de me relacionar com quem quer que seja? Provavelmente terei de fazer alguma promoção estilo Pingo Doce em que só é preciso pagar metade para levar o todo. Na televisão até mostraram pessoas à pancada. E eu quero ver alguém a levar pancada por minha causa, o meu lado masoquista veio à tona agora.

Alfie Boe - Bridge Over Troubled Water Video]



Taylor Swift - Begin Again [Video]


Cópia baratinha de "Back To December", mas filmado em Paris é outra coisa!

Vacina Da Gripe

E então pequenada quem é que daqui toma vacinas da gripe com a chegada do Outono? Só eu? Só? :(
Ter família a trabalhar na saúde implica ter de tomar a dita vacina, quer se queira ou não. Tomá-la implica, pelo menos para a minha pessoa, ter de uma assentada todos os sintomas de gripe ao invés de ter um de cada vez, é mais prático. Graças a Deus que quando chegou a minha vez de ir para a tropa aboliram o serviço militar obrigatório senão ao levar uma das famosas vacinas e injecções militares cairia certamente para o lado. Andam uns pais a criar um filho para sair isto [isto que sou eu].

Taylor Swift - We Are Never Ever Getting Back Together [Parody]


Estes gajos são os Reis no que toca a paródias musicais.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Lembram-se De Jogar Isto?


 Muitas pilhas se gastaram a jogar estes dois vícios num Game Boy a preto e branco. Não sendo adepto do Benfica mesmo assim o meu preferido era o Pokémon Red e escolhia sempre o Charmander. Toda a gente vai aos arames com o Pikachu mas o Charmander merece o prémio de fofice extrema. Hoje vejo estes desenhos animados de robots e fico meio perdido ao fim de dois/três minutos. 













Começando A Manhã A Rir Com Tarja Turunen

Tarja [ex-vocalista dos Nightwish] sobre a saída da Anette da banda:
"Lamentavelmente, não fiquei surpresa com isso"

É mesmo a dizer que eles iam ser uns filhos da mãe para a Anette como foram para ela.
Opá, eu sei que para quem não tem o mínimo sentido de humor isto não tem piada nenhuma, mas eu estou aqui farto de me rir. Costumo ser um bocadinho filho da mãe com a Tarja mas desta vez tiro-lhe o chapéu.


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Dúvida Existencial

Em "Once Upon A Time" devo babar-me mais pela história ou pelas personagens? 




Kamelot - Sacrimony [Video]


Roy Khan só há um, aquele que se foi embora e mais nenhum :(

Sonhando Acordado

Uma das coisas que me faz confusão é ouvir as pessoas dizerem que têm o sonho de “qualquer coisa” e que gostariam de vivê-lo. Não falando de sonhos, há coisas que eu gosto/gostaria efectivamente de fazer. Mas partindo do princípio que os sonhos são coisas boas [de outra forma seriam pesadelos] quando aparecem coisas menos boas [ou até mesmo más] que sonho é este então? Acho que quando as pessoas falam dos sonhos geralmente esquecem-se que apenas os têm quando estão a dormir e que aí não precisam de mexer uma palha para alcançarem aquilo que querem e dizem sonhar. O mercador de cristais de “O Alquimista” não queria ir a Meca por que de tanto imaginar como seria caso se atrevesse a ir, se fosse e não tivesse as sensações esperadas, toda a vida teria sido vivida em prol de um sonho que no fim se revelou infundado. Depois aparecem aqueles que nos dizem que se o sonho é nosso todas as adversidades deveriam ajudar-nos a saborear aquele prazer especial de chegar onde se quer. Não esquecendo que a maioria dos sonhos acaba na melhor parte, aquela à qual não podemos voltar depois de acordados. Deve ser nessa parte que aparecem as dificuldades e nos lembramos que nesta vida nada advém de estarmos deitados de olhos fechados.

Girls Aloud - Something New [Video]


Sabem do que é que eu gosto? De ver uma banda que esteve parada montes de tempo reaparecer com um single destes. É do caraças [no bom sentido].

The Young Professionals - Be With You Tonight [Video]

0:37 eheh
Não é por nada mas esta música é das coisas mais viciantes que ouvi este ano.

domingo, 21 de outubro de 2012

Rebecca Ferguson - Nothing's Real But Love [Video]


Por que nem toda a música actual precisa de ser azeiteira.

Promoção Hussel

Bata fazerem um Like na página da Hussel e podem imprimir o vosso vale de 50% de desconto em gomas até 15 de Novembro.
GOMAS GOMAS GOMAS 


23 Anos De Casamento

E enquanto eu continuo aqui encalhado, os meus pais fazem 23 anos de casados. Geez, são muitos anos.
Sei que é costumo dizer-se que as mães são santas e a minha não é excepção, quanto mais não seja tem uma paciência de santa por aturar o meu pai há tanto tempo eheh.

Taylor Swift - Red [Review]




Data de lançamento: 22/10/12

Tracklist:
01. State Of Grace
02. Red
03. Treacherous
04. I Knew You Were Trouble
05. All Too Well
06. 22
07. I Almost Do
08. We Are Never Ever Getting Back Together
09. Stay Stay Stay
10. The Last Time
11. Holly Ground
12. Sad Beautiful Tragic
13. The Lucky One
14. Everything Has Changed
15. Starlight
16. Begin Again

Quando um artista afirma que escreveu dezenas de músicas para um álbum e nos apresenta uma tracklist de apenas 16 temas, das duas uma: ou são músicas excelente ou então serão as menos más de entre todas as outras. 
Quando um artista afirma que enverdou por caminhos pelos quais sempre quisera enverdar e que trabalhou com pessoas com quem sempre quisera trabalhar, das duas uma: ou aprimorou ainda mais o seu próprio estilo tornando-o em algo único ou então perdeu-se no meio de tantas influências e experiências.
O quarto álbum de Taylor Swift é infelizmente uma amostra dos dois piores cenários dos quatro que apresentei em cima. Se no álbum anterior, "Speak Now" o afastamento do território country com mais influências pop-rock dera resultado, em "Red" é uma mistura infeliz.
Primeiro por que os temas pop incluídos no alinhamento [tais como "I Knew You Were Trouble"; "22", "We Are Never Ever Getting Back Together", conseguem servir de amostras para o quão degradante é o panorama pop actualmente. Músicas sem qualquer tipo de mensagem, com batidas escusadas e degradantes a fazerem lembrar um serralheiro em pleno trabalho.
Segundo por que os temas country aí existentes tais como "Treacherous"; "Stay, Stay, Stay"; "The Lucky Ones"; "Begin Again", são puros reflexos de canções inspiradas que Swift lançou em álbuns anteriores como "Mean"; "Back To December"; "The Best Day" e por aí adiante.
As colaborações incluídas no álbum [primeiro álbum da cantora a conter colaborações vocais] de Gary Lightbody dos Snow Patrol ["The Last Time"]  e de Ed Sheeran ["Everything Has Changed"] são dois bons exemplos do que poderia ter sido o álbum da cantora se ela não tivesse seguido pelas vias facilitistas da pop.
Em suma, não existira problema nenhum em mudar de estilo se se mantivesse o padrão de qualidade dos álbuns anteriores, o que não aconteceu nem por sombras. Quem ouvir "Red" não irá ter nem um reflexo da Taylor Swift do primeiro álbum isto por que pouco ou nada sobrou da artista de outrora. A mistura de estilos resultou num álbum sem qualquer tipo de seguimento sendo que as canções aparecem mais soltas do que em qualquer outro álbum da cantora. Salve-se o facto de continuar a escrever os próprios temas senão enquanto artista estaria agora no mesmo patamar das cantoras pop mais rascas.
05/10

sábado, 20 de outubro de 2012

Vendo Televisão

Pai: Casou-se o último príncipe europeu.
Eu: Isso é mentira.
Pai: É mentira? Então ainda agora disseram isto no telejornal e é mentira?
Eu: É mentira sim senhor! Eu continuo solteiro!


Lendo O Jornal

Mãe: Andreia Rodrigues; Sou mais do que uma cara bonita.
Eu: É verdade, também tem um bom par de mamas.



Não vejo nenhum programa apresentado pela dita senhora, foi só para mostrar como sei de onde vem o talento deste tipo de pessoas.

Conversa Mãe E Filho

Mãe: Estive a falar com a senhora E e ela perguntou-me a tua média e eu não lhe soube responder. Qual foi a tua média mesmo?
Eu: 12,5, que arredondando dá 13.
Mãe: Oh é uma boa média.
Eu: É óptima, põe num quadro e encaixilha. 

Mães: a tentarem elevar o ego dos filhos desde o início do Mundo.

A Minha Cara Ontem:

... quando saio de casa, vou a meio do caminho e percebo que não coloquei a novela a gravar:



Depois, quando chego a casa e a minha mãe me diz que nem sequer viu a novela para me poder contar o que se passou no episódio:



É gayzice, mas novela para mim é serious business.

Bridgit Mendler - Hello My Name Is... [Review]



Data de lançamento: 22/10/12

Tracklist:
01.Ready Or Not
02. Forgot To Laugh
03. Top Of THe World
04. Hurricane
05. City Lights
06. All I See Is Gold
07. The Fall Song
08. Love Will Tell Us Where To Go
09. Blonde
10. Rocks At My Window
11. 5:15
12. Hold On For Dear Love

O Charlie tinha uma fábrica de chocolate. A Disney tem uma fábrica de [pseudo]cantoras, são dois factos consumados nesta vida. Por isso o primeiro álbum de Bridgit Mendler surge numa altura em que as pessoas já sabem o que esperar deste tipo de lançamentos e a maioria nem se vai dar ao trabalho de o ouvir. o que é uma pena por que é de facto uma novidade neste tipo de música. 
Primeiro por que a ausência de auto-tune é notória. Não estamos a falar de uma cantora de topo mas Bridgit Mendler tem uma voz agradável  e ninguém a deve censurar por isso.


Também não vão encontrar aquele tipo de canções pseudo-provocatórias cantadas por uma mocinha a quem há bem pouco tempo cresceram as mamas. O intuito deste álbum [penso eu] foi mostrar uma cantora divertida e isso vê-se [e ouve-se] em temas como o primeiro single, "Ready Or Not" , "Hurricane" ou a minha favorita, "Rocks At My Window" .  Têm também espaço as baladinhas do costume como "All I See Is Gold" ou "Hold On For Dear Love". A cantora não saí da sua "confort-zone"  não se encontrando nenhum momento musicalmente notório mas como não estamos a ser ludibriados com doses massivas de produção isso acaba por não ser um mal por si próprio.
Em suma, o álbum surge numa altura em que as pessoas já estão cansadas da máquina Disney e Bridgit Mendler não é um nome que muitas conheçam ou queiram conhecer e a cantora é que fica a perder. Verdade seja dita que a promoção do álbum não teve a propaganda que todas as outras estrelinhas tiveram, talvez por que agora ao invés de se promover um produto se está a falar de uma artista. É pena.
7/10 



sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Little Mix - DNA [Video]


Sim, faz lembrar a E.T. da Katy Perry... Mas estas meninas são o máximo.

Eu E As Línguas Clássicas

Há pouco acabei de ler um post no blogue da Voluptia e lembrei-me do quão crazy era a turma de Estudos Portugueses e Lusófonos por se pôr a estudar Latim e Grego quando mais ninguém no seu perfeito juízo o faria. Blá blá blá linguas mortas blá blá blá, tanta gente que só diz merda por essa boca fora e a esses a língua está sempre viva.
Adiante, disse eu à Voluptia que ela era crazy por se pôr a estudar Grego Clássico. Parafraseando a Inês com a sua expressão "borrar a cueca", eu borrei todos os meus pares de boxers para passar a Latim II. E nem me venham perguntar se começei a fazer Grego por que eu sou burro mas não sou tanto e fugi daquilo como o Portas das comunicações do Governo.
O que é certo é que a maioria dos professores aqui da FLUP já sabe que eu + Latim é uma relação esitlo Rihanna e Chris Brown, alguém irá sair dali com uns olhos pisados. hoje, em Diplomática, a Professora que apenas esteve comigo três vezes viu o meu sobrolho franzido quando se falou de Latim e percebeu logo que eu não era homem de colhões para lhe apresentar análises documentais de documentos redigidos em latim.
Temos pena dearie.
E tanta coisa tanta coisa nem se tocou nos trabalhos de análise documental.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O Que É Pior?

Há pessoas que acham uma chatice quando levam com os pés. Outras acham-no quando andam atrás de uma pessoa dias, meses a fio e não conseguem nada.
Eu acho uma chatice quando uma pessoa acorda de manhã a pensar: "Olha, é esta pessoa que eu quero." e se deita à noite a pensar: "Nah, não era nada, era só eu a ser estúpido.".
Por que não há coisa pior do que uma pessoa não saber aquilo que quer.

É Preciso Ter Colhões

Sabem aquele momento teenager de pura excitação quando se pede o contacto àquela pessoa de quem andámos atrás? Lembrados da alminha da Argentina? Pois é, quem é que tem o contacto da alminha da Argentina? Moi Je.
Agora vou ali marcar a cirurgia para recuperar os dois colhões que perdi. 
lol

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Por que não te ris?

Há pessoas que têm um medo louco de colocarem fotos suas na internet. Não daquele tipo de fotos em que estão seminuas ou algo do género, falo de fotos banais. Para vosso deleite nunca coloquei nenhum dos dois tipos aqui mas posso dizer que não tenho muitos complexos em mostrar a real fronha. É a vida. Mas se o defeito não é do cu é das calças como se diz por aqui. Se uma pessoa não tem fotos é um ultraje, mas se se tem fotos é obrigatório arreganhar a cremalheira o máximo que se conseguir como se de um anúncio da Colgate se tratasse. Graças a Deus quem cá vem nunca reclamou comigo por causa disto mas de qualquer forma posso sempre dar uma explicação [ou duas ou três]:
1) Tenho os dentes amarelos, não de fumar, que isso é vício de rico e eu sou um pé rapado.
2) Não tenho uma cremalheira propriamente direitinha.
3) Sou contra qualquer tipo de pseudo simpatias.

A sério, quantas pessoas sorriem nas fotos como se não houvesse amanhã mas que ao vivo, a cores, face-to-face estão sempre com umas trombas maiores do que as do elefante do Jumbo? 

E para acabar em beleza, fotos com efeitos, não, por favor. Ou melhor dizendo, efeitos com fotos, por que em alguns casos a dose de Photoshop é maior do que a gordura nas bifanas das barracas da feira. 

Então? E Namoradas?

Pessoa: Então?
Eu: Então o quê?
Pessoa: Quando é que arranjas uma namorada?
Eu [mentalmente]: Não sabia que havia pessoas a fazer uma contagem decrescente para que eu arranje alguém. Não deveria ser eu a estar desesperado por poder ficar encalhado?
Não tenho pressa.

Nightwish - Imaginaerum [Theatrical Trailer] [Video]




terça-feira, 16 de outubro de 2012

Música De Funerais

Vi que uma das músicas mais tocadas em funerais por esse mundo fora é [:drumroll] "Someone Like You" da Adele. A sério? A pessoa ainda não está enterrada e já está a dizer que vai encontrar alguém melhor. É um bocadinho creepy. 
Num desejo um pouco mórbido gostaria de pedir para porem isto a tocar no meu funeral:



The Killers - The Way It Was [Audio]


Eu falo muito mas se tivesse a voz do Brandon Flowers então é que não me calava mesmo!

Trabalho De Diplomática #3

E este sou eu depois de ter passado mais de três horas a fazer o trabalho de Diplomática:


Um livro, duas chancelarias online, isto é mesmo muito chato, típico trabalho de ratinho de biblioteca. A melhor parte é que isto é como filme de terror, tem sequelas, ou seja esta é somente a primeira parte, vêm mais dois ou três trabalhos de Diplomática para entregar, mas por hoje não trabalho mais.  

Cara De Saca-Rolhas

Existem dois tipos de pessoas, aquelas que se dizem tímidas ao primeiro contacto mas que depois não se calam e aquelas que realmente são tímidas já de si.
Mas também existem aquelas que são entediantes como tudo e para esse tipo de pessoas as afirmações de cima são como uma bóia de salvação pois ajudam a justificar a seca de pessoa que elas são. Opá não há mal nenhum em admitirem que são uma seca, eu também sou feio como merda e não vejo nenhum problema em dize-lo, até parece que é uma coisa muito difícil de esconder Por vezes acho que devo ter cara de saca-rolhas [logo eu que nem bebo] por que algumas vezes é isso que uma pessoa tem de fazer para arrancar meia dúzia de palavras a alguém, ir com o saca-rolhas à boca delas arrancar um ou dois monossílabos. Perde-se muito tempo quando se podia estar a fazer outras coisas, if you know what i mean...


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Dada Life - Feed the Dada [Video]



Logan, onde foste desencantar esta coisa? Os Dada Life produziram o tema título do novo álbum da Cheryl Cole, "A Million Lights". Parte de mim acha que esta música faz lembrar uma máquina de lavar a trabalhar. A outra parte [maior] acha-lhe  a maior graça.

Quando A Vida Me Dá Limões:



Problema De Gente Feia

Um dos problemas de se ser feio como merda [é mesmo este o termo] é não se saber quando as pessoas estão realmente a elogiar-nos ou a gozar-nos à cara podre.

Eu: Pronto, assim vens comigo ao cinema ver "Os Miseráveis".
X: Hum depois no escuro ainda te dou um beijo.
Eu: É que nem te atrevas, deixo-te logo ficar e vou embora.
X: Oh não queres?
Eu: Não sou eu que estou a pensar nisso, tu é que falaste no assunto, nem sequer me passou pela cabeça pedir-te tal coisa.
X: Ok :(

Quando eu sou irónico a fazer propostas ninguém as aceita, quando faço propostas sem malícia alguma saltam-me logo em cima. É preciso ter sorte!

E agora para aliviar a tensão, a capa do novo álbum do Pablo Alboran. lol


Colóquio Internacional LITERATURA ARTURIANA E DEFINIÇÕES DO PODER NA PENÍNSULA IBÉRICA MEDIEVAL


Círculo Universitário do Porto

Realiza-se nos próximos dias 18 e 19 de Outubro, no Círculo Universitário do Porto, o Colóquio Internacional «Literatura Arturiana e Definições do Poder na Península Ibérica Medieval», organizado pelo Seminário Medieval de Literatura, Pensamento e Sociedade (SMELPS/IF/FCT) e pelo GDRE-AILP-CNRS no âmbito do projecto «Western Iberian Medieval Arthurian Inventory» (PTDC/CLE-LLI/108433/2008)

A entrada é livre. Solicita-se, todavia, um contacto prévio com seminariomedieval@gmail.com.

_________________________________________________________________

Geek stuff, mas como se costuma dizer tenho de puxar a brasa à minha sardinha :) 

domingo, 14 de outubro de 2012

Mover O Realíssimo

Seguindo o post da Inês começo por dizer que a quantidade de pessoas que ainda nem acabou os estudos e já se está a preparar para ir com o seu realíssimo para outro lado é assustadora. Não estámos nós a tornar-nos nos "pretos" que vinham para Portugal fazer o que mais ninguém queria fazer? Algo que não é somente dos jovens mas sim de todas as pessoas que vejo a dizer querer ir para o estrangeiro é que não há um plano estabelecido, uma ideia,  nada. Eu próprio a ir para fora, provavelmente irei às cegas, a ver o que agarro primeiro. Onde estão aqueles anos em que as pessoas trabalhavam naquilo que queriam e não naquilo que vinha primeiro à rede?  Este ano, com uma licenciatura acabada de tirar, um dos meus primos conseguiu ficar a trabalhar como engenheiro de informática na empresa onde estagiou, nem todos têm essa sorte. Quem é de letras, como eu, tem na maioria das vezes, de se sujeitar a fazer o que aparecer ou então, como disse em cima, ir com o seu realíssimo daqui para fora.
O mundo dá muitas voltas e por incrível que pareça nós agora somos uma praga tão insuportável como os Chineses e Africanos são para Portugal. 

A Ver:


Estava sempre a ver a publicidade a esta série nos episódios de "World Without End", vamos ver se vale a pena. A minha irmã diz que adorou, mas a opinião dela não é muito de fiar.

Tenho Vergonha :$

Mas aos 22 anos, primeiro ano de mestrado, fui, pela primeira vez obrigado a ter de imprimir a lista dos Reis de Portugal. Vou ali para a parede da vergonha e já venho. 


Escusado será dizer que é tudo para o trabalho de Diplomática. 

sábado, 13 de outubro de 2012

Leona Lewis - Glassheart [Review]



Data de lançamento: 12/10/12

Tracklist:
01. Trouble
02. Un Love Me
03. Lovebird
04. Come Alive
05. Fireflies
06. I To You
07. Shake You Up
08. Stop The Clocks
09. Favorite Scar
10. When It Hurts
11. Glassheart
12. Fingerprint

A Leona Lewis de 2012 está infelizmente distante da que se apresentou ao mundo em 2oo7. Aquela que parecia suplantar Mariah Carey, Christina Aguilera agora nada mais não é do que uma banal cantora RnB que deixa tudo a cargo das batidas e respectivos produtores. Temas como "Broken" ou "Homeless" não serão encontrados aqui. Parece que as três amostras que foram disponibilizadas no ep "Hurt" são o mais próximo que iremos ter de tais músicas nos próximos tempos. 
Não que "Glassheart" seja um flop por que não o é. Agora tem-se direito à habitual musiquinha de discoteca [o tema título], baladinha pirosa ["Fingerprint"] e outros temas que parecem saídos do álbum anterior, "Echo" mas sem a potencialidade dos predecessores ["Un  Love Me"; "Fireflies", "Lovebird"]. Falando de potencialidades, a escolha dos singles por parte da equipa de Leona deve ser feita na medida de escolher os temas mais desinteressantes dos álbuns, com "Echo" foi "Happy", agora foi "Trouble", se é para desacreditar a cantora façam "Shake You Up" single pois é uma das músicas mais sem propósito de sempre. Depois acrescem-se alguns momentos em que as letras são pura e simplesmente parvas: 

"I wanna cry untill i laugh
and laugh untill i cry"

Embora se saiba que não está nenhum Shakespeare a escrever para estas cantoras também não seria preciso um génio literário para suplantar esta escrita ranhosa.


Em suma e apesar de tudo o que eu disse o álbum não é abominável. Abominável é antes lembrar que a cantora que aqui está é a versão sem talento de uma cantora de há cinco anos atrás.
5/10

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

A Ovelha Negra De Estudos Medievais II

Mais duas preciosas tiradas que demonstram o outsider que sou no meu Mestrado.
Ontem, na primeira aula com o Professor Carvalho Homem [uma seca de pessoa diga-se de passagem, mal olhei para ele percebi logo que devia estar a gravar músicas de embalar para crianças em vez de estar a leccionar o que quer que fosse] lá tive de responder às perguntas da praxe tendo de dizer inclusive quais eram as cadeiras de História que eu tinha frequentado na licenciatura.

Aluno x: "Frequentei x,y,z"
Aluno y: "Frequentei a,b,c"
Eu: "Eu vim de Estudos Portugueses e Lusófonos, nunca tive aulas de História aqui na faculdade. Tive Literatura Portuguesa Medieval, Ficção Medieval e cadeiras de Introdução à Cultura Portuguesa, Cultura Portuguesa dos Descobrimentos e do Barroco e Renascimento, mas cadeiras de História em si nunca tive."


E hoje em Teorias Políticas da Idade Média:

Professor Meirinhos: "Bem eu sei que temos aqui alunos de várias áreas, temos estes senhores de filosofia não é? E de História temos estes senhores não é? E eu sei que temos também pessoas que vieram de literatura não é?"

Aquele momento embaraçoso em que fui o único a levantar o braço e ele fez aquela cara de "este deve ter vindo parar aqui por engano."


Aiai onde é que eu me fui meter mãe do céu? :D



Um Silêncio De Ouro

Existem momentos em que eu consigo ficar calado e não dizer nenhuma parvoíce mesmo não sabendo se faço bem ou mal. Hoje foi um desses dias em que percebi ter ganho alguma coisa por ter ficado com a boca fechada pelo menos uma vez na minha vida.
Na minha entrevista de mestrado fui entrevistado pela directora do curso e por um senhor que eu não conhecia e que nunca tinha visto mais gordo [o senhor por acaso também não era magro diga-se de passagem] e foi este segundo elemento que me deixou com a pulga atrás da orelha. Quem era ele? O que é que ele estava ali a fazer? Por que é que ele entrevistava os alunos que se queriam candidatar ao mestrado de Estudos Medievais? Até hoje permaneceriam sem resposta tais dúvidas que eu tinha.
Estando eu e os meus colegas à espera de uma aula no departamento de Filosofia, passa o dito senhor para o piso superior e cumprimenta a colega que estava ao meu lado. Eu num raro momento de latice e lembrando-me da cara dele perguntei à minha colega quem era aquela alma.

"- É o Professor Pizarro." - disse-me ela.

Nesse preciso momento só me apetecia ter um buraco para me enfiar com tanta vergonha que fiquei da minha ignorância. Aquele homem era SÓ o Professor Pizarro, o maior crânio de História daquela faculdade com quem os meus colegas tiveram muitas das cadeiras de licenciatura.
Não que eu tivesse obrigação de o conhecer visto que não era da minha área de estudos aquando da licenciatura mas não conhecer um nome de referência no departamento em que estudo agora deixou-me deveras envergonhado :|

Lana Del Rey - Ride [Video]


Esta influência GaGa de fazer videoclips grandes como tudo não está com nada.

44 Anos De Pure Awesomeness


Pois é, o Hugh Jackman faz 44 anos hoje. O que me apraz dizer sobre isto? Nada, vou ficar aqui sentado só.

Um dos posts mais gayz de sempre, mas não faz mal.

Números Mortos


Por que é que eu não gosto de dar o meu número de telemóvel? Por que de quando em vez isto parece um episódio de “The Walking Dead” em que aparecem umas almas que parecem mortas prontas para me comerem vivo. E estas almas fazem-me questionar a minha capacidade de argumentação.  Há quem diga que mesmo para dar com um pé no cú de alguém há que saber fazê-lo com classe. Por vezes a minha classe parece estar toda naquele cantinho da sanita que não se consegue limpar. Tanta coisa que querem tirar que acabam por ter aquilo que não querem. Ou não digo nada ou então as pessoas esmiuçam- me até ao ponto de dizer aquela verdadezinha inconveniente que é desagradável como tudo. 

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A Ver:


Por que eu devoro todos os filmes do Adam Sandler. Lições de vida com humor decente à mistura, não podia pedir mais nada. Ou melhor, peço que o novo cd da Leona Lewis vaze rapidinho pf.

Receita Para A Cura Da Gayzice

Dizem as más línguas que um rapazito aqui da terra se assumiu e foi estudar para as terras de Sua Majestade.
As boas línguas dizem que foi para lá somente por que ao fim de dois anos de curso decidiu que não era aquilo que queria e agora está a estudar o que quer.
Quando me contaram eu disse:
"E não podem ser as duas? Não se podia assumir e mudar de curso?" 

Depois mais para mim pensei o quão estúpida é esta ideia de as pessoas se assumirem e [perdoem-me o palavreado] irem para o caralho mais velho. Tipo, gay que é gay é gay e pronto. Ou por estar em Inglaterra passa a ser hetero? 


Sabem o que faz isto minha gente? É ter-se muito dinheiro e pouca cabeça. Se eu tivesse quem me pagasse os estudos [alguém que não fosse meu pai ou mãe entenda-se] eu também dizia a toda a gente que era gay só para me pôr no caralho Há muito cagufe nesta aldeia geez...

PS: Gostam do novo cabeçalho? Não resisti, Hugh Jackman + Les Miserables = Gomas [eu gosto de gomas].

Portugueses Nas Novelas


O meu lado mais maricas, como muitos de vocês sabem, gosta de ver novelas. É um facto, temos pena. Mas ainda não percebi a modinha de agora se fazerem misturas portugueso-brasileiras, fica-se com uma ideia tão deturpada da parte minoritária, a sério.
Eu vejo “Fina Estampa” onde entra o Paulo Rocha. Aqui há dias fiquei parvo [ainda mais parvo] quando num episódio ele disse em menos de cinco minutos a palavra “gajo” mais de dez vezes. A sério? Algum português que viva aqui fala assim?
Mas há mais! Para melhorar há que acrescentar brasileirismos ao que já de si era mau:
“O gajo não atende o celular.”
Opá, alguém conseguiria levar este homem a sério se isto se passasse na vida real?
Portugal e Brasil, a envergonharem-se mutuamente desde há muito tempo.

Curso De Informática


Ontem veio cá um senhor [muito bem parecido por sinal] promover um daqueles cursos de informática que se fazem aqui nas aldeolas a ver se a coisa pegava. Dos vários cursos à disposição um deles encaixava-se naquilo que a senhora minha irmã precisa agora, para mim existia um de nível avançado de Word, Excel e PowerPoint assim como outro ligado a design de páginas web e afins. Como já me cansei de Photoshop, Illustrator, InDesign e outros, torci logo o nariz embora me parecesse interessante ver se não estou assim tão enferrujado quanto penso estar em certas matérias.
O melhor melhor foi quando ele disse o preço dos cursos. Os meus pais, impávidos e serenos não acharam que fosse muito, eu ia caindo da cadeira abaixo pois pelos vistos estes preços já tinham sido bem maiores. Não, não, obrigado por mim. Pela minha irmã é que nem por isso, lá vai ela daqui a uns meses aprender o que não sabe.
E queira Deus que ela não aprenda nem metade daquilo que eu sei ou a mente dela irá ficar tão ou mais corrompida do que a minha, pobre criança.

Sarah Brightman [Video]


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O Livro Que Não Traz Sossego

Há algum tempo atrás coloquei neste post a compra de um livro,  "A Feira das Vaidades", de William Thackeray. Entretanto meteu-se o exame de Estruturas Fonológicas e Morfológicas do Português e nunca mais lhe peguei até esta semana. Ganhei-lhe um trauma que Deus me livre. Pegar naquele livro vai-me fazer lembrar sempre daquele nervoso miudinho de estar à espera de saber se acabava 2012 licenciado ou com um pé fora de casa. A verdade é que me licenciei e agora não consigo ler aquilo, não sei se a principal razão é deveras a que apontei em cima ou se é mesmo por o livro ser muito mau [ou a tradução em si] mas não consigo ler aquilo, ainda ontem vinha a ler na camioneta [viagens longas originam a que se tenha de criar modos de distracção, o predilecto é o mp3, como não consigo dormir nas viagens pelo menos vou embalado] e fiquei entediado em menos de dez minutos. Como diz o senhor meu pai, eu tenho é de ler as coisas da faculdade. Mas é uma pena por que qualquer livro que eu tenha comprado até hoje não descansei até o ler até ao fim [cheguei ao cúmulo de ser proibido de ler por parte do meu pai que já estava farto de me ver agarrado aos livros] e não costumo comprar às dúzias para ler depois, é algo que tenho de fazer no mais curto espaço de tempo. Mas para tudo há uma primeira vez e fico contente por esta nem ter doído muito, talvez por o livro ser mesmo meh, mas uma parte de mim sabe que não vou descansar enquanto não ler aquela porra até ao fim.

PS: Assim do nada aprece que mais uma ou duas almas vieram seguir o meu blogue. Como forma de agradecimento, uma imagem da Consuela:




Kelly Clarkson - Catch My Breath [Audio]

Treino Para A Guerra

Uma das principais razões pelas quais não faço promessas deve-se ao facto de a maioria dessas promessas que se costumam fazer envolverem sempre terceiras partes. Como podemos cumprir com algo que não é nosso? Complicado. 
Nos dias em que me apanho bem disposto digo a mim mesmo que vou tentar conversas sem que estas acabem com um dos lados desejoso de mandar o outro à fava.
Mas é difícil principalmente quando as pessoas fazem da mais simples das conversas um ensaio para a terceira guerra mundial. 
Depois, e como já não existe a obrigação de ir para a tropa eu penso: 
"Vou-me calar, não me alistei para esta merda."

Misha B - Do You Think Of Me [Video]


Mais uma cantora saída do forno que é X-Factor Inglês. O que acho interessante é que nas terras de Sua Majestade nem é preciso ser-se vencedor para se ter sucesso. Já aqui nem os vencedores o alcançam.

P!nk - Try [Video]


"Where there is desire
There is gonna be a flame
Where there is a flame
Someone's bound to get burned
But just because it burns
Doesn't mean you're gonna die
You've gotta get up and try try try
Gotta get up and try try try
You gotta get up and try try try"

Sou da opinião que a P!nk está a fazer o mesmo álbum há anos a fio, mas este refrão é deveras original.



A Desculpa E Pedir Desculpa

Modéstia à parte e como diria Cavaco Silva, "eu nunca me engano e raramente tenho dúvidas.". Não que não me engane, mas na maioria das vezes não é um daqueles enganos redondantes que me obrigassem a enterrar a minha cabeça na areia apra todo o sempre como uma avestruz. Talvez por ter tido essa sorte na maioria das vezes não precisei de passar por aquele momento embaraçoso de pedir desculpa e esperar ansiosamente que a outra parte aceite aquilo que tão relutantemente pedi.
Lembram-se da desculpa tão velha quanto o tempo? Pois era verdadeira, e a culpa era minha. Parte de mim queria ficar calada e a outra sabia que se eu me rebaixasse nem um bocadinho que fosse não me iria fazer mal nenhum.
Conclusão: rebaixei-me e não perdi nada com isso.
Por vezes temos de desmontar dos nossos unicórnios mágicos.