quarta-feira, 26 de junho de 2013

Sirenia - Perils Of The Deep Blue [Review]


Data de lançamento: 28 de Junho
Estilo: Symphonic Gothic Metal
País: Noruega
Site Oficial: http://www.sirenia.no/
Classificação: 

Tracklist [Limited Digipak Edition]:
01 Ducere Me In Lucem
02 Seven Widows Weep
03 My Destiny Coming To Pass
04 Ditt Endelikt
05 Cold Caress
06 Darkling
07 Decadence
08 Stille Kom Døden
09 The Funeral March
10 Profound Scars
11 A Blizzard Is Storming
12 Chains [Faixa Bónus]
13 Blue Collen [Faixa Bónus]

Se existe banda que consegue morder o próprio rabo, essa banda são os Sirenia. Não que "Nine Destinies And A Downfall"; "The 13th Floor" ou "The Enigma Of Life" fossem maus álbuns mas eram cópias desmesuradas de si mesmos. Álbuns como "An Elixir For Existance" ou "At Sixes And Sevens" pareciam fechados e arrumados numa gaveta. Até agora.

"Perils Of The Deep Blue" retoma o imaginário dos primeiros álbuns de estúdio da banda assim como a aura dos mesmos.
"Ducere Me In Lucem" um tema que serve de introdução ao álbum mostrando  um novo lado da vocalista, mais clássico, que a mesma fez questão de ressalvar num studio report relativo ao álbum. É possível notar esse melhoramento vocal em temas como "My Destiny Coming To Pass" ou "Cold Caress" com resultados mais ou menos satisfatórios, uma voz mediana não se torna soberba do nada. Mas voi um óptimo avanço.
Outra das "pérolas" deste álbum, assim como de todos os outros álbuns desta banda é, sem dúvida, o Sirenian Choir em músicas como "Ducere Me In Lucem""My Destiny Coming To Pass", "Cold Caress" entre outros. Destacam-se também momentos como o piano em 
"Seven Widows Weep" e "Ditt Endelikt", as guitarras em "Stille Kom Døden" ou "Profound Scars", a flauta no final de "The Funeral March" e o início em jeito de presságio de "A Blizzard Is Storming".

No entanto a insistência em incorporar elementos mais "electrónicos" em temas como "Decadence", "Profound Scars" acaba por arruinar músics que até poderiam ter sido bem conseguidas, como é o caso de "Blue Collen" que juntamente com "Chains" deveria ter integrado a tracklist principal do álbum. A opção de utilizarem vocais limpos em "Ditt Endelikt" [algo como "Sirens Of The Seven Seas"] traz Tristania à memória e não ajuda a formar uma ideia muito original destes Sirenia. Nem mesmo a tentativa de criar um tema verdadeiramente épico, "Stille Kom Døden" revela-se um semi-fracasso assim como "Darkling", um verdadeiro hino à arte de prolongar o que não deveria nem sequer ter sido criado.

Depois de três álbuns a repetir a mesma ideia, "Perils Of The Deep Blue" apresenta-se como uma lufada de ar fresco mesmo não trazendo nada de novo, tanto para a banda como para o estilo. Mas é sem dúvida o trabalho mais completo por eles lançado até hoje e merece ser ouvido. 


O video de "Seven Widows Weep" foi lançado a três de Junho.

11 comentários:

  1. Ainda não ouvi. Nem me lembrei de o sacar, sequer...e nem sei se o vá ouvir algum dia, para ser sincera xD O meu álbum de eleição será sempre o "At Sixes And Sevens" *-* E eles já não conseguem fazer nada como isso, acho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu acho que este álbum tem alguns elementos dos primeiros de que talvez possas gostar, mas não é igual, isso é certo.

      Eliminar
  2. Depois de ver o clipe Seven Widows Weep eu me animei a ouvir Sirenia novamente. Tenho At Six and Sevens e o An Elixir for Existence, mas depois deles eu fazia o download dos álbuns e deletava logo em seguida. Mas como ia dizendo, eu super animei com o clipe, mas ficou a dúvida se eu deveria comprar ou baixar o álbum. Bom, acabei baixando, ouvi e deletei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o álbum não é bom mas não é milagroso, não está ao nível dos dois primeiros.

      Eliminar
  3. Pelo menos eles estão na frente de muitas bandas que se dizem góticas e estão mais pra um rockzinho básico por assim dizer.

    ResponderEliminar
  4. Meu Deus, enche o saco ler resenhas de quem não entende nada de metal, o Sirenia é a banda mais criativa do metal contemporâneo ( ou por acaso o Metallica e o Iron é que estão lançando trabalhos interessantes? ), enquanto todas as outras bandas atuais são repetitivas e maçantes, o Sirenia lançou verdadeira obra-prima com este novo álbum, que demonstra como Morten Veland é um músico verdadeiramente genial...ao contrário de outras bandas, o Sirenia se reinventa a cada lançamento, mas agora atingiram seu "masterpiece", um álbum pesado, empolgante, que consagra o metal sinfônico produzido com muita competência pelo grupo...e não aguento mais esse preconceito contra o uso de elementos eletrônicos no metal, chega! quando usados com competência como faz o Sirenia, só trazem benefícios, Decadence é uma música espetacular, isso é coisa de metaleiro que parou no tempo....enfim, aqueles que são inteligentes e tem bom gosto irão adorar esse petardo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fãs brasileiros tão exagerados... você se deu ao trabalho de ler minimamente aquilo que eu escrevi e a classificação que dei ao álbum?

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. Tenho que concordar com o Thiago Giraldi. É um álbum denso e muito rico, e com belas melodias, e tudo feito com uma ousadia incrível e misturados de uma maneira que não é qualquer músico que conseguiria fazer isso sem se perder no meio de tantos elementos. Veland não apenas conseguiu como o fez com maestria mostrando muita genialidade. Este álbum por toda sua densidade e riqueza de detalhes merece uma escuta atenciosa. Esté álbum é realmente uma grata surpresa. Abriu mão de uma sonoridade mais acessível como nos três álbuns anteriores, que apesar de serem bons álbuns, eram mais do mesmo. Este Perils Of The Deep Blue foi sem dúvidas além de quaisquer expectativas que se poderia criar em torno do Sirenia.

    ResponderEliminar